Duas mãos segurando dois tipo de absorvente

Tipos de absorvente: conheça os modelos e saiba qual é o melhor dentre eles

Quando chegamos em uma determinada idade, a menstruação “desce” e o medo dessa fase nova pode aparecer, o que é completamente comum. Para algumas pessoas que menstruam isso vem cedo, dentre os 11 a 12 anos, mas, para outras, também pode vir mais tarde – tudo dependerá do organismo de cada uma.

Então, acontece, e há aquele mundo de novas informações, como os diversos tipos de absorventes. Isso dificulta o conhecimento de qual é o mais adequado.

Para quem acabou de entrar nessa fase, é muito comum que a mãe ou a pessoa responsável por sua criação apresente o absorvente externo, que é um dos mais usados e de fácil manuseio.

Além disso, também é a primeira alternativa devido à preocupação de que o absorvente interno rompa o hímen e acabe acontecendo a famosa “perda da virgindade”, não é mesmo?

Mas vale ressaltar que são raras as vezes que isso acontece. É muito importante que haja instrução de uma pessoa profissional da área, uma ginecologista, para ensinar como colocar da forma correta e explicar tudinho, como os cuidados com a higiene íntima.

De toda forma, conhecer todos os tipos de absorventes é essencial para decidir qual é o melhor para usar e que oferece mais vantagens.

Hoje, a Dona Coelha vai explicar um pouquinho sobre cada tipo e dar o veredito final sobre o melhor e mais vantajoso. Fique atente no post!

Tipos de absorventes: entendendo como é e como usar cada modelo

Além dos hormônios estarem em ebulição no início da fase menstrual, há uma mistura de sentimentos. Isso é completamente comum. Mas quando falamos de pessoas que menstruam, no geral, independente da idade, a saúde íntima e sua higiene são extremamente importantes.

Falar sobre cuidados íntimos é falar de absorvente. Você conhece bastante sobre quais são os modelos? Confira:

Absorvente externo

Esse é o modelo mais conhecido e um dos mais usados, isso porque é muito prático de colocar e descartar, gerando poucos incômodos, além de passar uma sensação protetiva maior. Só que, para usá-lo, é preciso considerar alguns fatores, como: fluxo e formato.

Banner com fundo roxo e desenho de absorvente externo descrevendo algumas características desse absorvente

Por exemplo, pessoas que possuem pouco fluxo – seja pelo uso de contraceptivos ou pelo próprio organismo – podem usar tranquilamente o modelo sem abas, que é mais fino. Esses são bem adaptáveis, encaixando-se bem até em calcinhas mais cavadas.

Para fluxos moderados, os modelos de tamanho normal são suficientes para conter o sangue e passar segurança para a pessoa. Agora, para quem possui um fluxo muito intenso, o ideal são os modelos maiores, como o noturno, que segura bastante sangue e evita vazamentos.

Qualquer que seja o modelo, há os tipos de coberturas: a seca e a suave. A primeira é para pessoas que não gostam de sentir o local úmido, pois ela tem uma pequena cobertura que “isola” o fluxo. O tipo suave é bem confortável e macio, mas não evita a umidade.

Esse modelo deve ser colocado no centro da roupa íntima, com as abas contornando suas laterais e sendo fixadas para que ele não escape. Essas abas devem ficar bem posicionadas, nenhuma pessoa merece ter o absorvente “sambando” na roupa de baixo. É muito incômodo!

Vale lembrar que ele deve ser trocado entre 4 a 5 horas, se o fluxo for mais baixo, de leve a moderado, e a cada 2 a 3 horas para as pessoas que têm um fluxo mais intenso. Tudo isso evita aquele mau odor da menstruação e também que as bactérias se proliferem. Candidíase? Tô fora!

Absorvente interno

Esse modelo também é bem usado, principalmente em dias de mergulho, na piscina ou na praia, e para quem tem uma vida ativa de exercícios e não quer colocar um absorvente que possa marcar ou causar desconforto.

Banner com fundo laranja e desenho de absorvente interno descrevendo algumas características desse absorvente

Assim como o externo, é preciso que a pessoa veja qual é o tamanho ideal para o seu nível de fluxo, bem como os modelos com aplicador, para facilitar a introdução, ou sem.

Para usar, recomenda-se lavar bem as mãos, tirar o absorvente do invólucro e desenrolar o cordão. A ideia é apoiar uma das pernas em uma superfície mais alta, abrir o lábios vaginais e introduzi-lo com cuidado, de modo inclinado, visto que o canal não é reto.

Pode ser um pouco desconfortável para quem não tem costume de colocá-lo ou não sabe, mas com paciência tudo se ajeita. E ele também deve ser trocado em 4 horas, tudo bem? Isso é importantíssimo para evitar infecções e outras doenças.

Protetor diário

Esse é como um absorvente externo, mas bem mais fino, que, geralmente, não é usado durante a menstruação – tanto por não conseguir absorver o fluxo quanto por não ter um formato propício para isso.

Banner com fundo rosa e desenho de protetor diário com descrição sobre esse protetor

Portanto, seu uso é mais para aqueles dias que antecedem ou precedem a menstruação, quando há pequenas gotas de sangue ou resíduos, para que a calcinha não fique suja.

É comum que algumas pessoas usem para que as roupas íntimas não sujem, principalmente aquelas que possuem secreções vaginais diariamente. Apesar disso, é um tremendo erro! Eles abafam a região íntima, causando infecções e irritações severas.

Esponja absorvente

Pouco conhecida e usada, as esponjas absorventes também são uma alternativa super bacana para conter a menstruação. Assim como os outros modelos, devem ser selecionadas pelo fluxo.

Banner com fundo verde piscina e desenho de absorvente esponja com descrição sobre

Para usá-la, basta inserir o mais fundo que conseguir para que o sangue seja bem absorvido, depois é só pescar dentro do canal e higienizá-lo da maneira correta.

Uma das vantagens desse produto é que a pessoas pode fazer exercícios físicos ou fazer sexo, o material é maleável e não gera incômodos, seja ne parceire ou em você. Muito prático, não acha?

Além disso, ele não tem compostos químicos, então não prejudica o pH vaginal e não causa doenças ou irritações. O melhor de tudo é que não há risco do sangue cair quando retirada, porque foi muito bem absorvido.

Porém, um fato ruim é que as pessoas têm relatado certo pânico na hora de retirá-la após relações sexuais, porque ele vai mundo fundo no canal. Quando isso acontece, é preciso manter a calma, ficar em uma posição de cócoras e pinçá-lo com os dedos, ela possui uma abertura para facilitar isso.

Calcinhas absorventes

Esse tipo vem fazendo cada vez mais sucesso porque é muito prático e reutilizável, basta lavar corretamente e estará pronto para ser usado de novo. É como uma calcinha normal, mas que pode absorver toda a menstruação, secando mais rápido e proporcionando conforto.

Banner com fundo azul escuro e desenho de calcinha absorvente com descrição sobre

Elas são super sustentáveis porque não são descartáveis como os absorventes comuns. É aquele ditado “Lavou, tá novo!”.

Mas usá-la é mais válido para quem tem pouco fluxo, ok? Se esse não é o seu caso, pode usá-las, desde que seja como um complemento para não ter riscos de vazamento. Apesar de menstruação ser algo normal, ainda é considerado um tabu, então ninguém merece ter olhares tortos pela roupa ter manchado.

Coletor menstrual

Por fim, chegamos no melhor e mais eficaz absorvente, mesmo com tantos questionamentos da sociedade e, até mesmo, das próprias pessoas que usam. Mas, calma, não é um bicho de sete cabeças!

Banner com fundo rosa explicativo sobre os benefícios do coletor menstrual

O coletor menstrual é colocado internamente, uma alternativa sustentável, bem amiga do meio ambiente. Ele é produzido, geralmente, em silicone ou um material emborrachado muito usado para instrumentos cirúrgicos, o que o torna super maleável e não causa alergias.

Para comprá-lo, é preciso considerar alguns fatores, como altura do colo do útero e fluxo menstrual. Para colos mais baixos, o ideal é um coletor mais curto, e um comprido para colos altos. O mesmo pode ser dito sobre o fluxo: quanto mais intenso mais comprido tem que ser o copo

E usá-lo é muito simples, basta se sentar no vaso ou em um lugar que permita a inserção do copo. Assim, os joelhos devem estar bem afastados, então o coletor deve ser inserido no canal vaginal, bem próximo à entrada, até o seu completo encaixe, rodando-o. O ideal é que não sobre espaço e que ele não fique dobrado.

O melhor de tudo é que ele aguenta até 12 horas, dependendo do nível do fluxo, depois basta retirá-lo para esvaziar, fazer sua higienização e inserir novamente.

Por que o coletor menstrual é o mais vantajoso?

Todo mundo ama uma economia, não é? Se levarmos em consideração os absorventes comuns, um pacote com 16, por exemplo, custa em torno de 6 a 10 reais, dependendo da marca.

Se uma pessoa tem um fluxo muito intenso, ela precisa trocar o absorvente em um intervalo menor. Assim, em um dia, a média pode ser de 4 a 5 por dia, isso já dá um pacote inteiro em três ou quatro dias. Então, precisaria comprar mais um, ou seja, mais dinheiro. Tem pessoas que menstruam por sete dias direto.

Isso se for externo! Os internos podem ser um pouco mais caros ou serem mais utilizados. Essa conta, no total, gira em torno de 10 mil a 12 mil absorventes usados durante todo o ciclo de vida, desde a sua primeira menstruação até a última. É um investimento alto, não?

Os coletores podem ser usados de 5 a 10 anos, e custam entre R$60 até R$100, dependendo da marca. Olha a economia! Gastar apenas isso para vários ciclos do que 10, 15, 20 reais por ciclo com outros tipos, todos os anos.

Além disso, eles são amigos do meio ambiente. Enquanto o plástico dos modelos comuns pode demorar até 400 anos para se decompor, e o copo coletor é sustentável e pode ser reutilizado muitas vezes.

Então, o que achou das alternativas mais sustentáveis? A calcinha absorvente e o coletor menstrual estão aí para revolucionar a saúde ginecológica, mas ainda temos um longo caminho a percorrer dentre os tabus.

Fique sempre ligade nas publicações da Dona Coelha, os conteúdos são informativos, interacionais e cheios de qualidade, não é? Até mais!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dona coelha e os cookies: usamos cookies para melhorar a experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.