Banner com fotografia de transexual com vestido vermelho e sorridente, e atrás a palavra respeito

Xô transfobia: 20 frases para não se dizer a uma pessoa trans!

Que existem pessoas de todos os tipos, crenças, tamanhos, entre outras características é fato. A questão é que, muitas vezes, por falta de informação, sem intenções ou, até mesmo, por preconceito, acontecem perguntas e comentários inconvenientes. Isso acontece muito com as pessoas trans, constantemente vítimas de transfobia.

Para ajudar a criar uma sociedade igualitária e sem insolência, se assim nos permite dizer, e também contribuir com informações completas e reais sobre o cenário trans no Brasil, a Dona Coelha, hoje, preparou este post incrível! Acompanhe e se desconstrua com a gente!

Transfobia: o que é? Entendendo o conceito com a Dona Coelha!

A transfobia nada mais é que o preconceito com as pessoas transexuais, quando alguém pratica agressões verbais e/ou físicas, buscando atingir o psicológico e questões morais. E esse preconceito todo não precisa, necessariamente, ser explícito: ações veladas também contam e bombam por aí.

Banner com imagem de mão aberta com pintura na palma da mão de listras coloridas e ao lado falando o que é transfobia

O que seriam essas ações veladas? Ter aquela aversão forte, afastando-se quando uma pessoa trans chega perto, tendo pensamentos discriminatórios, entre outras coisas.

É uma recusa em aceitar a individualidade dessas pessoas e suas manifestações. E isso se reflete muito em nossa sociedade nacional, a transfobia no Brasil é alta. No país, o preconceito com pessoas com orientações sexuais que divergem da heterossexualidade e que não se identificam como cisgêneras é enorme.

Quer saber mais sobre identidade de gênero? Então se liga nesse post aqui do nosso blog!

Dados sobre violência contra transexuais no Brasil

Segundo a Associação Nacional de Travestis e Transexuais (Antra), de 2019 para 2020, considerando os dois primeiros bimestres de cada ano, há o número assustador de 90% mais assassinatos contra pessoas transexuais e travestis.

No final do ano, foi realizado o Boletim 5 de 2020, em dezembro, esse levantamento constatou 151 assassinatos, o que é cerca de 22% mais em relação ao ano anterior. Assustador, não é? Os números surpreendem muito, especialmente a quem não vive essa realidade, assim como nós.

Isso só ajuda a mostrar que essas ações discriminatórias vão além de rebaixar a pessoa ou de tratá-la mal, mas sim são crimes de ódio, a violência física é totalmente presente nessas perseguições.

E toda essa violência pode se dar por pura e completa ignorância, sentimento de se achar superior a essas pessoas ou por aquele estereótipo social e conservador de que o correto é o que foi “dado por Deus, o que é natural”: se nasceu mulher tem que ser mulher, e homem tem que ser homem – fala sério?!

O que diz a legislação nacional?

Pouco tempo faz que a sociedade brasileira passou a “aceitar” melhor a comunidade LGBTQIA+. Se parar para pensar, é muito, muito recente, já que, em 1980, a orientação sexual e as identidades de gêneros “anormais”, ou diferentes do que o conservadorismo prega, eram consideradas doenças.

A legislação do nosso país considera como crime o tratamento desigual de qualquer cidadão, assegurado no Art. 5º da Constituição Federal de 1988, a qual diz:

Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade […]

Como uma mão “estendida” para a comunidade trans, em 2018, o Supremo Tribunal Federal decidiu que as pessoas que fazem parte dela poderiam realizar a correção de seus gêneros e nomes de maneira legal sem precisar de laudos médicos e da cirurgia de redesignação de gênero.

Sendo assim, a aceitação deveria acontecer além da teoria, não é? Mas, aqui, nem sempre as coisas são certas e justas para todos, infelizmente. O que se pode afirmar com isso é que o preconceito com as pessoas trans, assim como considerar a transexualidade uma patologia, viola a Constituição.

Mas, além de tudo isso, é preciso praticar a empatia. Colocar-se na pele do outro é uma excelente maneira de adquirir respeito, afinal, ninguém gosta de ser julgado pelo que é, certo? Você não gostaria.

O filtro também é excelente, sabe quando você pensa antes de falar? É um filtro acionado para não dizer coisas ofensivas e desnecessárias. Ainda, é preciso praticar, todo dia, a reflexão. Afinal, o preconceito está, infelizmente, enraizado na sociedade, há modos de criação que podem ensinar muitas coisas boas, como também existe o contrário.

Ou seja, todos nós carregamos algum tipo de preconceito conosco, por isso o processo de desconstrução dessas ideias ultrapassadas e agressivas é constante, de dentro para fora, requer consciência, paciência e muito empenho.

Só que o número de pessoas com o filtro é mínimo e elas acabam agindo com intolerância e preconceito, mesmo que não percebam. Para te ajudar na desconstrução da transfobia que existe em todos nós, vamos apresentar frases e perguntas que não devem ser ditas a quem é trans!

O que não dizer para pessoas trans? Evite essas frases a todo custo!

Agora que você já sabe o que é transfobia, é hora de adquirir um pouquinho mais de consciência.

Existem momentos da vida que podem nos deixar incomodados e sem graça, não é mesmo? Aquele tombo na frente de todo mundo, a flatulência na frente da pessoa que você tem uma queda e alguém inconveniente fazendo comentários totalmente desnecessários.

Quando falamos em pessoas transexuais, esses comentários parecem ser multiplicados por mil, de tantos que são, que podem ajudar, ainda mais, com a disseminação de ódio e violência da sociedade para o grupo. Veja alguns deles:

  1. Não sabia que você é trans, você parece uma(um) mulher (homem) de verdade!
  2. Mas o que seu(sua) namorado(a) acha de você ser trans?
  3. Você é uma mulher trans e gosta de mulher? Por que não continuou sendo homem então?
  4. Você fez a cirurgia, né? Se não, não é trans mesmo!
  5. Ser trans agora é modinha!
  6. Você não é mulher mesmo, sabe, né? Mulher tem vagina, útero e peitos!
  7. Sou contra cirurgia de mudança de sexo, acho mutilação!
  8. Não faz a cirurgia não, você pode mudar de ideia!
  9. Eu quero ver uma foto sua de antes de mudar de sexo, mostra aí!
  10. Não consigo te chamar pelo nome feminino, pra mim, você ainda é um cara!
  11. Você é trans? Não parece!
  12. Você é tão bonito, não parece trans!
  13. Ei, lembra aquele amigo trans que te falei? Então, é esse!
  14. Ah, você é um homem agora, então posso falar isso. – alerta de machismo!!!
  15. Você tem pinto então, né? Deve ter feito a cirurgia!
  16. Qual é o seu nome de verdade?
  17. Sua família te aceita? Deve ter sido difícil para eles!
  18. Ô, descola uns hormônios aí para eu tomar!
  19. Você decidiu virar mulher(homem) do nada?
  20. Nossa, você virou mulher, era tão lindo como homem!

Quando lemos em voz alta, soa absurdo até em nossos ouvidos, não é? Mesmo sendo ofensivo, ainda há pessoas com a paciência de explicar, respondendo as dúvidas, mas não é obrigação delas ensinar o traquejo a outros. E isso não quer dizer que comentários desse tipo não podem machucar.

Essas 20 perguntinhas são só uma amostra do que essas pessoas vivem. É claro que podem acontecer ocasiões de a outra pessoa não perceber que está ofendendo, mas, na maioria das vezes, é para ofender e diminuir.

Bom senso e empatia devem guiar todas as nossas ações, principalmente quando sentimos a vontade de dirigir perguntas íntimas a qualquer pessoa, independente da situação!

Banner com imagem de mulher ao centro levando mão à boca indicando silêncio, e ao lado texto explicando sobre transfobia

Se você perceber que falou alguma coisa desse tipo, não hesite em pedir desculpas e se retratar, todos estamos suscetíveis ao erro, o que importa é como lidamos com ele. E caso alguém te corrija quanto a alguma expressão, repense-a e considere que essa pessoa quer te ajudar nesse processo!

Como lidar com uma situação transfóbica? Intolerância não!

A Antra tem uma cartilha de recomendações sobre o que fazer em caso de violência LGBTIfóbica, que recomenda evitar revidar a violência, principalmente se ela for verbal, porque isso pode acarretar em agressões físicas.

É claro que nem sempre é uma situação fácil de controlar, a pessoa está ofendendo o seu modo de viver, como você é, o seu eu, e isso é injusto e machuca. Mas perder a cabeça não é a melhor maneira de lidar com isso.

A orientação também se estende para o registro de boletins de ocorrência na delegacia municipal. Dependendo do tipo de crime cometido, cabe a abertura de um processo, o que implica em testemunhas para reafirmar o que aconteceu.

O fato desanimador aqui é que, nem sempre, a justiça é rápida e pode ser algo muito cansativo, mas você deve assegurar os seus direitos! Quando há a perseverança e a não aceitação contra o crime cometido, a notícia se espalha entre a comunidade, dando forças a mais pessoas para fazerem o mesmo e se imporem!

Busque acompanhamento jurídico e acompanhe o caso para conferir o andamento e garantir que tudo está ocorrendo como deve.

E caso não tenha sido você que sofreu da violência transfóbica, mas alguém próximo, ofereça apoio. A situação não é nada agradável, por isso a pessoa precisará de todo o incentivo possível para saber que não está sozinha.

Garanta que a pessoa tenha todas as informações que necessita para prosseguir com o registro na polícia, assim como os outros passos já citados aqui.

O dia da visibilidade trans existe como um marco dessa luta constante por respeito e vida, por isso, a transfobia é só mais um dos assuntos sérios que podem e devem ser comentados na sociedade. Preconceito não deve ser tolerado.

O que achou do assunto? E dos comentários para não dizer? Se conhece alguma outra frase transfóbica, ajude-nos a ampliar essa lista, deixe um comentário!

Informar-se é sempre importante para não praticar qualquer ofensa contra o outro, mesmo que seja inconscientemente.

Para conferir conteúdos com pautas importantes como essa, não deixe de ficar ligadinhe em nossas publicações. Até!

Um comentário sobre “Xô transfobia: 20 frases para não se dizer a uma pessoa trans!

  1. pedro disse:

    muito bom seu site gostei muito do seu conteúdo.Vou passar mais vezes para ver as atualizações.abraço para vcs.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dona coelha e os cookies: usamos cookies para melhorar a experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.