Símbolos de gênero

Sexualidade fluida: entenda o que é e como acontece! 

Para falar de relacionamentos, amor e sexo – temas que a Dona Coelha adora! – a gente precisa explorar também o espectro da sexualidade. Por isso, sempre publicamos por aqui uma série de conteúdos para desconstruir e educar sobre vários assuntos relacionados a esse universo.

Neste post, vamos conversar um pouco sobre a sexualidade fluida: você já ouviu falar nesse termo?

No significado da sigla LGBTQIA+, cabem diferentes vivências e diferentes realidades: lésbicas, gays, bissexuais, assexuais e tantas outras… O “+” está ali justamente para representar as inúmeras possibilidades de orientação sexual – e identidade de gênero – que cabem debaixo desse guarda-chuva.

Sabendo que esse universo é grande e com diferentes possibilidades, por que pensar que uma pessoa vai se encaixar dentro de apenas uma dessas letras por toda a sua vida? A sexualidade não é uma caixinha e muito menos um padrão: essa é apenas outra herança imposta pela heteronormatividade.

É nesse cenário que entra a ideia de sexualidade fluida: a vivência das pessoas que transitam entre diferentes orientações sexuais ao longo do tempo. Se você nunca ouviu o termo ou não entende muito bem como isso acontece, siga a leitura! A Dona Coelha explica:

É bom lembrar: o que é a orientação sexual?

Primeiro de tudo, vale a pena pontuar que o correto é orientação sexual e nunca opção sexual, beleza? Isso porque o termo orientação sexual é usado para referenciar os desejos afetivos e eróticos de cada pessoa.

Ou seja, é o que orienta os desejos sexuais de uma pessoa: se ela tem relações heterossexuais, homossexuais ou ainda se ela se identifica como bissexual, pansexual ou qualquer outra orientação do espectro. Essa nunca é uma escolha voluntária – uma opção. Por esse motivo é errado dizer “opção sexual”, okay?

Precisamos entender também que é ERRADÍSSIMO utilizar os termos terminados em “-ismo”, como “homossexualismo” e “bissexualismo”. O sufixo “-ismo” é utilizado na linguagem para definir doenças (veja só o alcoolismo, o bruxismo e o sonambulismo) e nós sabemos bem que quem foge dos padrões da heterossexualidade não é nenhum doente.

E ao falar de orientação sexual, precisamos ter em mente que existe uma gama enorme de possibilidades como:

  • Heterossexualidade: a orientação de quem se relaciona com pessoas do gênero oposto ao seu;
  • Homossexualidade: orientação de quem se relaciona com pessoas do mesmo gênero que o seu;
  • Bissexualidade: a orientação das pessoas que se relacionam tanto com as pessoas de mesmo gênero que o seu quanto as de gênero oposto;
  • Assexualidade: orientação das pessoas que não sentem atração sexual por outras pessoas ou, ainda, que têm essa atração de forma muito reduzida;
  • Panssexualidade: a atração sexual por pessoas idependentemente de seu gênero ou sexo;
  • Demissexualidade: a orientação das pessoas que só desenvolvem atração sexual por uma pessoa depois de ter sentimentos por ela;
  • E +!

Como já foi colocado um pouco acima: a sexualidade é um grande espectro e não existem caixinhas certas que definem cada orientação. Por isso, é preciso ter em mente que essas listadas acima não são as únicas possibilidades.

Para se aprofundar nesse assunto, leia o post da Dona Coelha que te ajuda a entender o que é a orientação sexual e todas as suas possibilidades.

Informativo sobre orientação sexual

Entendendo a sexualidade fluida

Agora que já entendemos direitinho o que é a orientação sexual, podemos falar sobre as pessoas que possuem a sexualidade fluida. Existe, inclusive, uma nomenclatura específica para essa vivência: a abrossexualidade.

O que é abrossexualidade? Ela existe?

A abrossexualidade abraça as pessoas que têm a orientação sexual passando casualmente por mudanças. São pessoas que transitam pelas diferentes orientações sexuais por conta de seus sentimentos e sua identidade sexual passar por transformações.

Pessoas diferentes podem passar por mudanças diferentes, por exemplo: uma pessoa que se identifica como homossexual em um momento e, em outro, passar para a bissexualidade ou, então, uma pessoa que flui entre o heterossexual e o assexual.

Além das orientações dessa fluidez ser diferente para cada pessoa, a frequência com que elas mudam também varia. Isso porque cada pessoa tem suas particularidades e sua vivência diferente.

Então, é possível ter alguém de sexualidade fluida que transita por diferentes orientações semanalmente, ao mesmo tempo que outra pessoa que se identifique assim apenas passe por mudanças a cada dois anos, por exemplo.

Algo importante de ser levantado em conta é a característica essencial da abrossexualidade que faz com que a pessoa transite entre orientações periodicamente. Isso quer dizer que alguém que por muito tempo se identificou como heterossexual, por exemplo, e hoje se identifica como bissexual não é necessariamente abrossexual – essa mudança só ocorreu uma vez!

O que dizem os estudos sobre isso?

A ciência concorda que a orientação sexual não é uma escolha. São fatores como a genética, os hormônios, a sociedade e a cultura que podem contribuir na determinação da orientação sexual de uma pessoa.

Em 2012, um estudo em larga escala dirigido pelo pesquisador Ritch C. Savin-Williams conseguiu identificar que, em um período de 6 anos, a estabilidade na identidade de orientação sexual dos pesquisados era maior que a mudança – mas, ainda assim, a mudança existia.

Nesse estudo, é possível perceber que a estabilidade é maior entre as pessoas que se identificam como homens cis e de orientação heterossexual – parando pra pensar um pouquinho, não é tão dificil imaginar o porquê não é mesmo? A imagem da masculinidade construída pela heteronormatividade em volta deles pode se tornar uma barreira ao novo e ao diferente e às possibilidades de ser.

Enquanto isso, a sexualidade feminina se apresentou ser mais fluida que a masculina. O que causa essas mudanças? Pode ser apenas um comportamento estatístico ou ainda influências culturais, sociais ou ainda biológicas… Não há um consenso!

Informação sobre sexualidade fluida

Na sua opinião, por que isso acontece? O que, ao seu ver, leva a sexualidade feminina a ser mais fluida que a masculina? Você entende a abrossexualidade como uma orientação sexual específica? Deixe sua visão nos comentários, nós vamos adorar ouvir sua contribuição à essa discussão!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Coletamos dados para melhorar o desempenho e segurança do site, além de personalizar conteúdo para você, confira nossa Política de Privacidade.