26 fatos sobre a vagina que você deveria saber

26 fatos que todo mundo deveria saber sobre a vagina

Se você tem uma vagina ou apenas gosta delas, precisa aprender mais sobre elas. Se as palavras vagina, vulva, clitóris te soam estranho, sério, você precisa ler urgente esta lista com as 26 coisas que todo mundo deveria saber sobre a vagina.

1. O clítoris não é um botão

Estudos recentes da liderados pelo professor Ph.D., na Universidade de Indiana, mostram que o clitoris vai além do seu formato visível, formando um U. Além disso este tópico também possui outro significado, o clitoris não ser um botão significa não basta apertá-lo para a mulher ter prazer. É preciso estimular em diversas direções e com diferentes pressões para que seja gostoso.

2. O que você acha ser vagina, provavelmente é a vulva

Erro bastante comum. A parte externa e visível da genitália se chama vulva que inclui os lábios, a uretra, abertura vaginal e tudo mais. O que a maioria das pessoas chama de vagina se refere a vulva.

Já a vagina é a passagem muscular que liga a vulva ao colo do útero.

3. Vaginas e vulvas tem diferentes formatos, tamanhos e cores

É quase como uma impressão digital, todo mundo tem algo diferente. Não existe algo como vulva padrão, embora esse mito venha da indústria pornô mundial que prefere a atrizes características parecidas.

4. Quando estimulada uma vagina pode crescer cerca de duas vezes seu tamanho natural

Sem estímulo a vagina possui em média de 3 a 4 centímetros de profundidade, mas durante o sexo este tamanho aumenta cerca de 2x.

5. Nem todas as mulheres nascem com hímen

Em resumo o teste do hímen para conferir se uma mulher é virgem ou não, feito por muitos anos era totalmente falho. Além disso para as mulheres que tem hímen, este pode variar muito em relação a sua cobertura e espessura.

6. A vagina não fica diferente após um parto normal

Não existe nenhuma diferença estatística entre a vagina de uma mulher com filhos e uma sem filhos. É tudo um mito! Se quiser confira o estudo de 1996 sobre a diferença estética da vagina entre mulheres com um filho, vários filhos e sem filhos.

7. Ainda não foi comprovado a existência do Ponto G feminino

Não existe um consenso de que exista um botão mágico no corpo da mulher que quando pressionado dê prazer. Parece que é muito mais complexo que isso (olha que surpresa!).

Por anos o Ponto G feminino foi definido e indicado nas revistas masculinas como um local entre dois e cinco centímetros dentro da parede frontal da vagina e que possui uma textura diferente, mais enrugada. Homens por ano foram indicados a estimular esta área com os dedos para proporcionar o orgasmo feminino.

Mas aí que fica complicado. A ciência e a medicina não conseguem explica, nem localizar um orgão ou parte distinta da anatomia responsável por todos este prazer (link 1, link 2).

Tá mais e daí, ponto G existe ou é um mito? Novos estudos estão seguindo uma linha interessante que indica que ao invés de ter um ponto de prazer, o clítoris, uretra e parte frontal da vagina formam um conjunto que quando estimulados juntos, resultam no orgasmo vaginal, também conhecido como Orgasmo Ponto G.

8. Sentir vontade de fazer xixi durante o sexo, tendo ido ao banheiro um pouco antes, é normal

Ainda sobre o estímulo do conjunto clítoris, uretra e parte frontal da vagina (tópico acima), é possível que a estimulação da uretra durante o sexo faça ter vontade de fazer xixi.

9. A pílula contraceptiva pode influenciar na lubrificação natural

Assim como a menopausa e amamentação, a capacidade de lubrificação da vagina está ligada aos níveis de estrogênio. Quanto menos estrogênio, menos lubrificação natural. Por isso, nunca deixe de ter a mão um gostoso lubrificante. Conheça os melhores no sex shop da Dona Coelha.

10. Usar lubrificante torna o sexo muito mais gostoso

Sou grande fã dos lubrificantes. Para mim eles são o produto erótico mais prazeroso para usar sozinha ou em qualquer relacionamento. Essa sou eu falando, mas a medicina também concorda comigo.

11. Por volta de 16% das mulheres dizem que nunca chegaram ao orgasmo durante a penetração

E para piorar essa estatística, da mesma pesquisa outro dado alarmante. Entre 20% a 30% das mulheres dizem chegar ao orgasmo 1 entre 4 vezes, às vezes menos, durante o sexo.

12. Quase 30% das mulheres dizem ter sentido algum tipo de dor na sua última relação sexual

Existe uma condição específica para mulheres que sofrem dores crônicas durante o sexo chamada de Vulvodínia. Mas a maioria dos casos de dor estão relacionados a fatores ocasionais como falta de lubrificação, ou sentir que está muito apertado. Isso é facilmente resolvido com uso de lubrificantes, pedindo por mais tempo nas preliminares e trocando de posição durante a relação.

13. Lésbicas costumam  ter mais orgasmos que mulheres hétero e bissexuais

Elas sabem do que gostam, segundo a pesquisa publicada no Journal of Sexual Medicine.

14. Camisinhas não tiram o prazer sexual ou deixam o sexo pior

Outro mito desmitificado pela Universidade de Indiana em pesquisa, não existe diferença entre o prazer que é sentido na relação sexual com ou sem camisinha.

15. Para aumentar as chances de ter orgasmos, faça de tudo na cama

A combinação de sexo oral oral, mãos e penetração, além da prática de mais de uma posição sexual por relação, aumenta e muito a probabilidade ter um orgasmo comparado com que só faz uma coisa.

16. Usar sabonete íntimo pode não ser uma boa ideia

A vagina se limpa sozinha. Para fazer uma paralelo, pensa na lágrimas que ajudam a limpar o seus olhos, a vagina funciona da mesma forma.

O uso de sabonetes íntimos por outro lado pode matar a flora vaginal, deixando a mulher mais propensa a infecções. Leia, em inglês, alguns estudos que apontam o uso de sabonetes íntimos com problemas de saúde como inflamação pélvica, vaginose, bacteriana e outros.

17. Dá para saber se está no período fértil observando a vagina

O muco cervical fica mais claro e pegajoso durante o período de ovulação. Você também vai verificar maior quantidade que o habitual.

18. Observar a vagina ajuda a saber se tem algo errado com sua saúde

Sempre observe sintomas da sua vagina que podem revelar problemas com sua saúde como coceira e irritação, sangramento fora do período da menstruação, mau cheiro ou cheiro diferente do habitual, qualquer mudança verificada você deve procurar um ginecologista para um diagnóstico.

19. Camisinha te protege contra as DST, porém não todas

Camisinhas são fundamentais em qualquer relação sexual porque além de ser um bom contraceptivo, protegem de muitas DST, porém é bom que saiba que ela não te protege de todas as DSTs. O herpes e HPV podem ser transmitidos pelo contato da pele, então é possível contrair uma dessas doenças mesmo que você sempre se previna com a camisinha.

20. Muitas mulheres serão expostas ao HPV durante a vida, mas podem não saber disso por anos

Certos tipos de HPV podem causar câncer de colo do útero ou verrugas genitais. Para as mulheres, se o seu exame de Papanicolau estiver com problemas ou seu teste HPV der positivo, o seu ginecologista deve trabalhar um plano especial para cuidar da sua saúde.

Mas o HPV é muito mais comum do que se pensa, a maioria das pessoas acaba exposta durante a vida e nunca desenvolve nenhum dos sintomas ou complicações de saúde por causa disso. Na verdade, 9 entre 10 casos de pessoas que contraem o HPV geralmente se curam sozinhos em um ou dois anos.

De qualquer forma o HPV é muito mais perigoso para mulheres do que para os homens, por isso a recomendação é tomar a vacina contra o HPV caso seja mulher tenha entre 11 e 13 anos.

21. Além de não fazer sexo, o implante e o DIU são as formas mais efetivas de evitar a gravidez

Tanto o implante quanto o DIU são formas de longo prazo e reversíveis contraceptivas com eficiência de 99%.

Os implantes tem o tamanho de um palito e são colocados no braço. Eles liberam o hormônio progesterona que impede a ovulação e engrossa o muco cervical o tornando menos hospitaleiro ao espermatozóide. Em geral os implantes duram até 3 anos.

Já o DIU é um dispositivo em forma de T que o médico insere diretamente no útero. Existem DIU hormonais, e existe uma versão não hormonal. O DIU pode durar de 3 a 12 anos, dependendo do tipo.

É importante lembrar que embora a eficiência destes dois métodos, nenhum deles protege das DSTs.

22. As mulheres não devem ter relação sexual por pelo menos seis semanas após o parto

Isso vale tanto para mulheres que tiverem parto normal quanto cesariana. Há várias razões para isso, a maioria relacionada com precisar de tempo para se curar do procedimento e evitar infecções. Porém, nada impede outros tipos de atividades sexuais que não envolvem a penetração.

23. Muitas coisas podem causar infecção por fungos

Ficar com biquini molhado ou roupa de treino suada da academia, beber muito bebidas alcóolicas, comer muito açúcar e mesmo usar antibióticos que podem matar as bactérias boas na vagina e causar um desequilíbrio hospitaleiro para fungos.

Como evitar: Comer iogurte com culturas vivas pode ajudar, assim como pílulas receitadas e outros medicamentos simples de encontrar em qualquer farmácia.

24. A vagina possui um a inclinação de em média 130 graus

Este ângulo pode mudar ao longo do tempo ficando cada vez mais achatado. Isso significa que o sensação do sexo fica diferente conforme a idade avança até a menopausa.

25. Algumas mulheres podem ficar com coisas presas na suas vaginas

A maior parte das coisas que ficam presas são camisinhas e absorventes internos. Em alguns casos a própria mulher consegue tirar sem problemas, mas em alguns casos é preciso uma ajuda. Contar com o parceiro ou em casos mais complicados com o ginecologista é importante.

É importante que se não conseguir tirar algo dentro da sua vagina, vá ao médico. Deixar para lá coisas como camisinhas e absorventes internos causam um cheiro terrível com a possibilidade de causar infecções, e para objetos duros pode causar pode causar machucados e cortes internos sérios.

26. Não dá para perder nada dentro da vagina

A parede do colo do útero impede que qualquer coisa consideravelmente grande entre e fique no seu corpo. Ele vai ficar preso no início da sua vagina, próximo ao colo do útero e pode ser retirado sem mais problemas.

 

E aí sabia tudo isso sobre a vagina? Sempre indico a necessidade de nos conhecermos melhor e no caso dos meninos, conhecer a vagina é pre-requisito para um bom sexo e mais que isso, um relacionamento sério.

Esta série de fatos foi inspirada nesse post.

Receba nossos emails

CADASTRAR

Um comentário sobre “26 fatos que todo mundo deveria saber sobre a vagina

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Espere, temos uma oferta especial para você!

GANHE 10% OFF

basta se inscrever na nossa newsletter
EU QUERO DESCONTO!

IMPORTANTE: Esta oferta é limitada e não irá se repetir!
Fechar ( X )

Nós  SUPERELA

Você que conheceu nosso site pelo Superela tem _DESCONTO  na sua primeira compra.
CADASTRAR
Oferta válida apenas para compras acima de R$ 100
close-link
CADASTRAR
Seu cadastro garante que será a primeira(o) a receber as ofertas de Black Friday.

Receba nossos emails

CADASTRAR