Sangramento após a relação: é normal? Causas e o que fazer

Calcinha manchada com sangue após relação sexual

Não, não é normal haver sangramento após a relação sexual, essa é a primeira coisa que precisamos saber sobre esse assunto. Quando falamos especialmente da penetração vaginal, numa relação saudável, não há motivos pra rolar qualquer tipo de sangramento da vagina.

Mesmo assim, pode ser que você já tenha passado por isso, o que, mesmo não sendo normal, acaba sendo comum. Eu vou te explicar quais são as principais causas de sangramento vaginal pós-sexo e o que você deve fazer em cada caso. Lembre-se que, de qualquer forma, o ideal é procurar sua ginecologista pra entender de perto os sinais do seu corpo, tá bem? Vamos lá!

Principais causas e tratamento de sangramento após a relação

O sangramento após o sexo pode acontecer em diferentes quantidades, desde uma manchinha parecida com a menstruação até uma maior quantidade, o que muda de acordo com a sua origem. Há situações em que esse sangramento não deve ser motivo pra se preocupar, mas, em outras, é essencial ter atenção e consultar um médico. Entenda melhor as causas:

1. Rompimento do hímen

Apesar de não ser uma regra, já que existem diferentes tipos de hímen, é comum que haja um pequeno sangramento quando ele é rompido. Isso porque o hímen é uma membrana e, durante a penetração vaginal, ela pode ser rompida e gerar esse pequeno sangramento. Também é comum que isso aconteça na primeira vez, mas, se o hímen for mais elástico, pode ser que não se rompa nessa relação inicial.

De qualquer forma, o sangue que sai do rompimento do hímen é bem pequeno e, no geral, acaba em poucos minutos, sendo que a higiene íntima é super importante nesse momento pra prevenir qualquer infecção. Caso haja um sangramento mais constante e volumoso, é indispensável ir a um hospital ou consultar um ginecologista pra entender o que houve no canal.

2. Infecções no canal vaginal

Seja uma Infecção Sexualmente Transmissível (IST) ou não, há várias infecções que podem inflamar o canal vaginal, o que aumenta o risco de sangramento após a relação sexual. Isso porque essas inflamações podem gerar feridinhas nas paredes do canal que, durante a penetração, podem ser irritadas.

Porém, quando é esse o caso, a inflamação vaginal não aparece sozinha. As infecções tendem a ter diferentes sintomas, como coceira, sensação de queimação, mau odor e corrimentos não naturais, como aqueles mais verdes, amarelos ou esbranquiçados.

Se você notar outros sintomas além do sangramento, não hesite em consultar seu ginecologista pra fazer os exames e identificar o tipo de infecção que você tem, afinal, o tratamento muda de uma pra outra e só o especialista saberá indicar os melhores procedimentos pra você seguir – nada de se automedicar, viu?!

3. Pólipos

Os pólipos, de acordo com o Hospital Israelita Albert Eistein, são cistos, no geral, benignos que aparecem em tecidos mucosos. Nesse caso, podem aparecer nas paredes uterinas ou do canal vaginal. Daí, durante a penetração, pode haver uma fricção que gere sangramento. Pra saber se é isso que você tem, os exames de rotina são essenciais.

E caso o sangramento persista e seja recorrente, vale a pena consultar sua ginecologista pra entender se é possível remover os pólipos cirurgicamente – no geral, tende a ser um procedimento de pequena invasão.

4. Secura vaginal

A secura vaginal acontece muito na menopausa, quando a lubrificação vaginal natural está menor ou até escassa. Assim, se não houver a lubrificação complementar, com lubrificantes mesmo, a penetração pode causar feridas, sangramento e dor – ou seja, não vai ser nada confortável ou prazerosa.

Mas não se engane, essa não é uma condição exclusiva de quem está na menopausa, ela pode surgir em qualquer idade, inclusive se você estiver passando por algum tratamento hormonal que impacte na lubrificação.

Se você estiver passando por isso, os lubrificantes à base d’água são a melhor escolha, pois tendem a ser hipoalergênicos. Também não se esqueça de manter a visita ao ginecologista em dia, ele poderá te indicar algum tratamento hormonal ou até remédios naturais que ajudam a tratar a secura no canal vaginal.

5. Penetração muito intensa

Quando a penetração acontece com muita intensidade e força, é super possível machucar a vagina, o que pode até gerar pequenos sangramentos após a relação, bem pontuais e rápidos. Isso pode ser agravado se a lubrificação não estiver adequada, deixando o sexo bastante desconfortável.

Se você passar por isso, dê muita atenção à higiene após o sexo, fazendo a limpeza adequada, ainda mais no período menstrual. Caso o sangramento ou a dor devido à penetração persistam, procure um médico ou um Pronto Atendimento.

E tenha atenção durante o sexo: se você não estiver gostando do ritmo, peça pra sua parceria parar imediatamente. Se ela não parar, tente você sair da posição que está e parar com tudo e, caso se sinta em situação de abuso, grite por ajuda ou, se não ver saída no momento, não hesite em denunciar quem te agrediu! Mesmo depois que o sexo começou, não é não e a culpa de um abuso nunca é da vítima!

6. Câncer vaginal

Antes de você ter um “piripaque” com um sintoma que poderia indicar um câncer, lembre-se: este conteúdo é apenas informativo e não pretende, de forma alguma, diagnosticar qualquer questão de saúde. Somente especialistas de saúde podem diagnosticar sua condição e indicar os melhores tratamentos.

Dito isso, o sangramento após a relação pode ser um sintoma de câncer no canal vaginal, mas essa é uma situação muito mais rara que as demais. O câncer nessa região do corpo tende a ser mais comum após os 50 anos ou em quem está em grupos de riscos, como pessoas que têm várias parcerias e relações sem proteção (preservativo).

Geralmente, esse não é o único sintoma da condição, ela tende a gerar mau cheiro, dor ao urinar e na região pélvica, além de sangramentos fora do período menstrual, independentemente da penetração acontecer ou não.

Se você perceber algum desses sintomas, recorra ao seu ginecologista pra fazer todos os exames necessários, como o Papanicolau. Esses sintomas podem ser indicativos de outras condições ginecológicas, mas, se houver a suspeita de câncer, o especialista pedirá exames que avaliem a presença de células cancerígenas pra que, se necessário, o tratamento comece o quanto antes.

Quando sangramento depois da relação pode ser gravidez?

Existe um processo chamado de Nidação, que é quando o óvulo fecundado se implanta no endométrio, bem no início da gestação. Esse processo pode gerar um pequeno sangramento, bem escuro, em tom marrom, e em pouca quantidade, que pode ser indicativo da gravidez e pode acontecer independente se rolou sexo ou não. Não é uma regra, mas pode acontecer. Caso você esteja com suspeita de gravidez, sempre confie nos resultados dos exames de sangue.

E se você já estiver gestante e tiver um sangramento após o sexo (sim, no geral, pessoas grávidas podem transar), recorra a um Pronto Socorro com ginecologista de plantão imediatamente. Durante a gravidez, toda alteração precisa ser avaliada com atenção e o acompanhamento com especialista é essencial nesse processo pra manter a saúde do bebê e da pessoa gestante.

É normal sair sangue rosa depois da relação?

De acordo com especialistas, pode ser que um corrimento rosado saia após a relação sexual, geralmente por conta de alguma pequena lesão na vagina. No geral, esse sangramento rosado é baixo e dura muito pouco, assim, você não precisaria passar por um tratamento.

Um consenso sobre qualquer situação de sangramento após a relação sexual é que, se ele for intenso e persistente, a visita ao médico deve ser rápida e é indispensável. No caso de pessoas gestantes, isso é necessário mesmo com sangramentos pequenos e pontuais – lembre-se que o acompanhamento ginecológico de rotina é a melhor forma de monitorar sua saúde e prevenir problemas mais graves ou sustos.

Se você não sabe qual a rotina ginecológica ideal, vale a pena conferir o meu post sobre os exames ginecológicos de rotina pra já marcar sua consulta deste ano! Até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

usamos cookies melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.