Swing: como a troca de casais pode esquentar o relacionamento?

Esquentar a relação a dois, especialmente casais juntos há muitos anos, não é uma tarefa fácil. Principalmente quando um deles propõe a prática do swing, uma fantasia sexual reprimida por algumas mulheres e homens também. Apesar do desejo de ver seu parceiro com outro, o medo de ir longe demais predomina.

A decisão de praticar um swing não é simples. Você pode ter medos e dúvidas, por se tratar de introduzir pessoas novas em sua vida sexual. Afinal, isso pode despertar ciúmes e gerar mudanças consideráveis para seu relacionamento. Daí a importância do diálogo aberto e a confiança entre o casal.

Medos à parte, essa brincadeira sexual é intensa e pode tirar seu relacionamento da mesmice. Bem como fortalecer a relação, especialmente se estamos falando de uma relação saudável entre o casal.

Para os casais que querem experimentar, o espaço entre mergulhar nessa aventura de prazer extremo e o medo, se chama falta de conhecimento. Por isso, fique por dentro do Swing com esse artigo que preparamos para apimentar sua relação e exterminar essas dúvidas.

O que é Swing?

Em algum momento você já ouviu falar de swing, mas nem sempre se atentou para o que realmente é. A prática consiste, em casais que, em comum acordo, trocam de parceiros durante uma relação sexual, fazem sexo a 3 ou quando um deles apenas observa seu parceiro fazendo sexo.

Ao inserir outra pessoa na intimidade, você e seu parceiro(a) podem deixar a criatividade rolar solta e optar por uma ou mais formas de swing: ménage masculino, ménage feminino, gangbang – a mulher transa com três ou mais homens ao mesmo tempo -, e entre tantas opções, a troca de casal.

Por que fazer um swing?

Esclarecer com seu parceiro o porquê do swing é essencial para evitar desentendimentos futuros. Você pode desejar fazer a troca de casal, por exemplo, por estar cansado de sua vida sexual. Por outro lado, alguns casais optam pelo swing para fortalecer a intimidade e explorar sensações novas.

Como sugerir ao parceiro?

Conversar com seu parceiro é fundamental. Expor suas ideias e razões, bem como esclarecer dúvidas a respeito do swing pode ser o ponto que faltava para seu amor topar essa nova aventura. Mas como falar para seu cônjuge que você quer inserir outra pessoa na intimidade de vocês?

Durante as carícias, no momento do tesão, você pode sussurrar fantasias no ouvido do parceiro. Fale coisas excitantes para o outro e observe a reação dele. Você pode, por exemplo, pedir que seu companheiro imagine que está fazendo sexo com você e outra pessoa.

Depois da relação sexual sempre rola um clima de maior intimidade, algumas pessoas ficam abraçadas, outras preferem comer alguma coisa, tomar uma bebida ou fumar um cigarro. Essa é a hora perfeita para conversar a respeito das fantasias propostas durante a transa e dialogar sobre fazer ou não o swing.

Seja qual for a razão para tal desejo, é importante esclarecê-lo e dar abertura ao parceiro para decidir se estão preparados para essa fantasia. Cuidado para não passar a impressão de que você está cansado do outro. Antes evidencie que se trata de uma experiência que deseja viver com ele.

Por onde começar?

Quem nunca fez swing, certamente está cheio de dúvidas, principalmente por onde começar. Então, comece por definir com seu parceiro, com quem e onde será o swing. Talvez você tenha uma amiga ou mesmo um casal de amigos que compartilha desse desejo.

Se deseja ter sua intimidade preservada em relação aos seus amigos ou teme que possa rolar um ciuminho depois, opte por alguém desconhecido. Você pode procurar pessoas em salas de bate-papo online, em baladas liberais, buscar auxílio de um profissional ou visitar uma casa de swing.

As baladas liberais e casas de swing recebem pessoas com diferentes orientações sexuais, desde homens e mulheres bissexuais, até aqueles que se declaram heterossexuais convictos e apenas desejam ver seu cônjuge com alguém. Daí é essencial manter o diálogo, antes de fazer qualquer proposta.

Se você e seu cônjuge ainda nutrem insegurança em inserir uma terceira pessoa na relação, pode escolher apenas ser observado enquanto transa. Dependendo da regra da casa, você pode fazer sexo na pista, em um sofá junto com outros casais ou alugar um quarto.

Quais os cuidados necessários?

Sexo seguro sempre! Por isso, não se esqueça da camisinha. O uso da camisinha não se restringe apenas à penetração sexual, mas também ao sexo oral. Troque o preservativo à medida que troca de parceiro.

Se for a uma casa de swing, evite passar informações pessoais. Pois você não sabe qual é a intenção do casal que você acabou de conhecer.

Estabeleça limites e respeite os limites alheios. Swing não é uma bagunça sexual, apesar de imprimir liberdade, o swing tem suas regras. O velho ditado “ajoelhou, tem que rezar” não integra esse meio, pois você é livre para aceitar ou não as atividades durante a relação sexual.

O swing é uma maneira ousada e excitante de apimentar uma relação. É um meio de experimentar novas experiências, mas não se esqueça de interagir com seu parceiro durante o swing e usar a camisinha, é claro.

Gostou da ideia? Cadastre-se na newsletter e deixe sua vida sexual mais interessante.

Receba nossos emails

CADASTRAR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Espere, temos uma oferta especial para você!

GANHE 10% OFF

basta se inscrever na nossa newsletter
EU QUERO DESCONTO!

IMPORTANTE: Esta oferta é limitada e não irá se repetir!
Fechar ( X )

Nós  SUPERELA

Você que conheceu nosso site pelo Superela tem _DESCONTO  na sua primeira compra.
CADASTRAR
Oferta válida apenas para compras acima de R$ 100
close-link
CADASTRAR
Seu cadastro garante que será a primeira(o) a receber as ofertas de Black Friday.

Receba nossos emails

CADASTRAR