Banner com fundo rosa e homem com lupa em frente olho

Metrossexualidade: uma visão nova sobre a masculinidade

Todos nós temos uma maneira de nos expressarmos, não é? Alguns são mais reservados, outros mais “chegados”, algumas pessoas amam roupas discretas, outras nem tanto e isso se espalha pelas mais diversas áreas.

Quando falamos em masculinidade, é muito comum que alguns termos venham à cabeça de maneira automática, principalmente porque fomos ensinados, desde pequenos, a reagir assim. Coisas como “machão”, “hétero” e por aí vai, mas é muito raro que o termo metrossexualidade apareça. Só em casos muito específicos.

Você sabe o que é metrossexual? Da forma mais resumida possível, é um homem mais conectado com a moda, com as tendências do mercado da beleza, preocupado com sua aparência, entre outras coisas.

Mas como coisas diferentes – sendo mais claro: coisas que não são consideradas normais para o nosso mundinho patriarcal – não são bem vistas, por isso a metrossexualidade pode causar um estranhamento.

Hoje, eu, Renan, estou aqui para falar dessa nova forma de pensar a masculinidade. Vamos desconstruir mais uma vez? Se liga no post!

O que é metrossexual? Conheça a origem do termo!

O metrossexual é um homem moderno que se preocupa com a aparência, com andar na moda e usufruir de coisas que outros não pensariam em adicionar na rotina, como cosméticos de beleza para valorizar a aparência, ter um bom cargo e desfrutar das coisas boas da vida sem preocupações.

Banner com fundo azul piscina com jovem de braços cruzados no canto e ao lado escritas explicando a origem da expressão metrossexual

O termo metrossexual ou metrossexualidade nasceu não tem muito tempo. Ele surgiu em meados do século XXI, com a crescente expansão da moda masculina para homens preocupados com a aparência e com o cuidado a si mesmo.

Para ser mais exato, em 1994, Mark Simpson, um jornalista britânico, usou a expressão, juntando “metropolitano” com “sexual”. Assim, sua definição fica bem clara, o homem metropolitano preocupado em se vestir de acordo com as tendências, de boa aparência e à frente do seu tempo.

Com a expansão do mercado da moda masculina e a fabricação de diversos produtos voltados para esse público-alvo, o termo se popularizou. E esse boom foi ainda mais estrondoso quando Simpson publicou um artigo utilizando David Beckham como exemplo de homem metrossexual, o ex-atleta do futebol.

Na época, Beckham era constantemente alvo da imprensa, pois sempre foi muito antenado nas novidades da moda, usava e usa o que tem de melhor e mais estiloso no mercado e – claro – não podemos negar que o cara é boa pinta, não é? Não é à toa que, hoje, ele é um dos ícones da moda masculina.

Mais do que a criação de um novo termo, foi uma revolução para quebrar paradigmas a respeito da cultura homossexual. Porém, para muitas pessoas, especialmente homens héteros cisgênero, a metrossexualidade ainda é distante e algo que não deveria acontecer, afinal é preciso ser “macho”, e homem de verdade não se preocupa com coisas desse tipo.

O que é um engano, cá entre nós, e acaba perpassando ainda mais atitudes preconceituosas a respeito do que é “coisa de mulher x coisa de homem”.

Masculinidade frágil vs Metrossexualidade

Da época dos os primeiros homens até a nossa sociedade, sempre foi pregado que o homem precisa ser macho, daquele jeito bem bruto e selvagem, aquele que detém o dever de alimentar sua família e que manda onde quer que esteja.

Felizmente, nos dias de hoje, já conseguimos entender que é um tanto quanto machista e limitante ter a mentalidade assim, não é? Fora a opressão de que a mulher não pode fazer nada, só agradar o seu bom homem, tais ideias acabam reduzindo os homens a comportamentos e visuais animalescos. Bem, a sociedade é machista e a maioria das pessoas foram criadas dessa forma.

Apesar de termos caminhado para uma sociedade mais justa, ainda existe muito preconceito com os homens metrossexuais, tanto pelo seu modo de viver quanto pela aparência fazer com que as pessoas os associem como homossexuais – que não seria um problema se eles realmente fossem gays. É aquela famosa masculinidade frágil que tanto vemos e ouvimos.

Sabe aquele macho bem chato, o famoso, o que tem o rei na barriga e não perde oportunidade de falar “Eu não vou vestir essa camisa rosa não, coisa de mulher”, “Ah, o cara queima, hein”, “Esse aí é mulherzinha”, entre tantas outras frases que, quando ouvimos, pensamos Por quê???

Mas não pense que os homens mais mente aberta e mulheres também não podem pensar assim, ser machista, infelizmente, é meio que um traço enraizado do ser humano atual. Tem que ter muita reflexão e desconstrução todos os dias. Nessa hora, é preciso por a mãozinha na consciência e perguntar: Eu tenho masculinidade tóxica?

O fato é que ser um homem que se preocupa com o corpo, querendo estar bonito, vestido com o melhor e aquilo que está na moda e se sentir bem consigo é um estilo de vida, terceiros não precisam e não tem o direito de se ofenderem.

A metrossexualidade quebra o estereótipo de que homem não tem que se cuidar, deve ser por isso que ela incomoda tanto.

Quais são as coisas boas que a metrossexualidade traz?

Deixando todas as questões preconceituosas da sociedade bem de lado, o surgimento desse novo termo trouxe grandes vantagens para os homens, héteros principalmente.

Os que precisavam e não conseguiam achar uma forma de se encontrarem dentro de seus gostos, com medo de serem julgados por gostar de coisas mais voltadas para o público feminino, finalmente viram a luz no fim do túnel.

Por exemplo, o cara agora pode ter uma autoestima mais alta, cuidando-se com produtos de qualidade para aumentar o bem-estar e se sentir satisfeito consigo mesmo. Nem sempre é aquela coisa exagerada, é o mínimo de cuidado e o famoso amor próprio que todo mundo deve ter.

Uma saúde melhor também é uma das vantagens, pois o homem se preocupa em fazer o check up do seu corpo, consultando médicos especializados para ver se está tudo certo com o organismo, se há falta de algo, entre outras coisas.

Banner com homem maduro no canto e escritas informando fatores que fazem homens vivem menos tempo que as mulheres

 

Acho que todo mundo já deve ter ouvido falar, pelo menos alguma vez na vida, o cara falando “Eu não tomo remédio, não gosto”, “Não, não vou no médico não, isso é coisa desnecessária”. O que responder depois disso, né?!

Ainda, posso citar que a metrossexualidade contribuiu para que o homem entendesse mais a mulher, seus desejos, suas preocupações e a busca por estar mais bonita, saudável e por se sentir bem. Não é frescurinha, é autocuidado.

E claro, melhorou os relacionamentos, não é? As pessoas geralmente olham mais para aquelas que são mais cuidadas, que se vestem bem e se impõem no dia a dia.

E isso não significa apenas no âmbito amoroso, o profissional também conta. No geral, as empresas observam bem o(a) candidato(a): se está com a barba feita, se passou maquiagem, se o cabelo está arrumado, se a roupa condiz com o ambiente, entre outras coisas.

O que podemos concluir disso tudo é que o homem metrossexual é um sopro de ar fresco para o mundo engessado do padrão de homem. Ele é uma pessoa com boa vaidade, antenado nas novidades da moda e beleza e tem a mente um pouco mais aberta.

E aí, curtiu o assunto? Conhece algum homem ou você é assim? Não deixe de contar para nós, estamos sempre mais do que felizes em interagir com os leitores. E fique sempre bem ligade nas nossas publicações, até!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Coletamos dados para melhorar o desempenho e segurança do site, além de personalizar conteúdo para você, confira nossa Política de Privacidade.