Insegurança no relacionamento: porque ela existe e como lidar

Insegurancarelacionamento1 insegurança no relacionamento: porque ela existe e como lidar

Relacionamentos, sejam eles namoro, noivado ou casamento, são a causa de ótimos momentos na vida de muitas pessoas, mas também podem causar situações ruins e complicadas. Dar certo com outra pessoa é um dos desafios da vida a dois, especialmente quando pensamos na famosa insegurança no relacionamento.

Se você tá querendo saber mais sobre o assunto, tá se sentindo insegura ou quer saber lidar melhor com uma parceria insegura, aqui é lugar certo. Siga a leitura e saiba mais:

O que é insegurança no relacionamento?

A insegurança no relacionamento é aquele sentimento constante de dúvida sobre o que você realmente significa pra a outra pessoa. Ela pode ser expressada em ciúmes, em tristeza, em desconfiança e várias outras formas.

E não pense que isso é algo inofensivo, viu? Esse sentimento pode ser um dos motivos pra muitos casais incríveis acabarem. Então vale dar a devida atenção.

Esse sentimento pode levar o casal a ter brigas bobas por pouca coisa, desgaste constante e até mesmo gerar pessoas controladoras — o que não é nada saudável.

Como identificar insegurança no relacionamento?

Como identificar insegurança no relacionamento

Os sintomas podem variar de pessoa pra pessoa, até porque somos únicos do nosso jeitinho. Mas existe um padrão bem comum em pessoas que sofrem com essa insegurança, como:

  1. Baixa autoestima, especialmente em relação aos amigos da parceria;
  2. Sensação de incapacidade;
  3. Sensação de inferioridade;
  4. Sentir que não merece aquela pessoa;
  5. Medo constante de críticas e rejeição vindas da parceria;
  6. Dependência emocional;
  7. Pessimismo constante sobre o relacionamento;
  8. Dismorfia corporal;
  9. Sentimento de vulnerabilidade constante.

A maioria deles pode ser aliviada com conversas sinceras e atenciosas entre o casal, mas muitos deles precisam ser tratados com um psicólogo, ok? Especialmente às questões de disformia e dependência. Saúde mental não é brincadeira e não deve ser ignorada.

É normal se sentir insegura no relacionamento?

Sim e não. Pensa assim, mesmo que algo seja comum e frequente, não quer dizer que é normal, certo? O mesmo se aplica aqui. Por mais que seja comum ver pessoas inseguras dentro de seus relacionamentos, isso não é normal.

Várias coisas podem levar a esses padrões de insegurança e eles precisam ser combatidos, tratados e cuidados. Afinal, você também merece relações boas e saudáveis.

O diálogo no relacionamento é a chave pra lidar com isso da melhor forma, seja incentivando a terapia ou simplesmente reafirmando a importância da pessoa na relação. E é sobre essas possíveis causas que vou falar um pouco mais:

O que causa a insegurança nas pessoas?

Vários fatores podem levar a insegurança no relacionamento, aqui eu trouxe os 6 principais, mas vale lembrar que ela pode vir de uma ou mais opções listadas abaixo. Venha saber mais:

1. Baixa autoestima

A baixa autoestima pode ser uma vilã em diversas ocasiões, e essa é uma delas. É difícil achar que alguém vai te amar e te aguentar, quando você mesmo não consegue se enxergar com o valor que ela realmente tem, sem conseguir perceber sua beleza, suas qualidades e sua versão real.

Normalmente, pessoas com baixa autoestima só conseguem ver seus defeitos, seus erros e suas falhas. Isso, além de não ser nada saudável pra sua saúde mental, também não é saudável pra suas relações e pode acabar gerando muita insegurança.

2. Traumas de outros relacionamentos

Uma pessoa que já foi abandonada, enganada e/ou traída costuma ter mais dificuldade em confiar de novo, certo? Pra muitas pessoas, essa é uma das maiores causas de insegurança: o medo de tudo se repetir.

É importante você ter mente que pessoas são diferentes uma das outras, e que nem todo mundo vai cometer as mesmas mancadas.

Não tô dizendo pra você confiar cegamente em qualquer um, mas se você consegue ver que aquela pessoa é diferente da anterior, especialmente no quesito respeito e carinho, as chances de tudo acontecer de novo diminuem bastante.

3. Traumas familiares e/ou da infância

Muitas coisas que acontecem quando somos crianças ou em nossa família ao longos dos anos podem ter consequências graves na nossa saúde mental.

Algumas são porque um dos pais foi pego traindo, outras é porque um dos pais abandonou a família, algumas podem aparecer por parentes tóxicos que os fazia se sentir inferiores e por aí vai.

Cada caso é um caso, mas se você perceber que algo sobre seu passado vem prejudicando suas relações no presente, busque terapia e cuide desses traumas.

4. Comparação excessiva

A comparação excessiva pode ser tanto uma causa quanto uma consequência da insegurança no relacionamento. Pessoas ensinadas desde criança a se compararem constantemente com todos ao seu redor, ou aquelas que começaram a fazer isso quando mais velhos, costumam ter dificuldade em se sentir suficiente pra outra pessoa.

Porque sempre tem algo melhor, mais bonito, mais divertido, mais legal. Lembre-se que você nunca sabe o que a outra pessoa realmente vem passando, ou quem aquela pessoa realmente é, especialmente as que você não consegue muito bem.

Outros podem parecer mais felizes, mesmo não sendo. Podem parecer mais divertidos, mesmo não sendo. E, mesmo assim, se por um acaso aquele alguém que você vive se comparando, é realmente tudo isso, também não tem problema.

A pessoa que você se relaciona tá contigo por um motivo, ela sabe suas falhas e suas qualidades. É tudo sobre você que fez aquela pessoa se apaixonar em primeiro lugar. Mesmo que você deva, sim, conquistar sua parceria todos os dias, também é importante confiar em quem você é e no que você pode oferecer como pessoa.

5. Falta de amizades e familiares saudáveis e presentes

Uma pessoa com poucas ou más amizades, ou então com poucos familiares presentes e saudáveis, raramente vai conseguir lidar com uma relação de forma saudável. Pense da seguinte forma, agora que aquela pessoa tem alguém presente, que a dá amor e carinho, ela provavelmente não vai mais querer perder sua parceria.

Não vai querer voltar a não ter ninguém. É aí que a insegurança nasce, porque ela começa a ter medo de que um dia isso aconteça. Por isso, é sempre bom cultivar amizades — especialmente fora do círculo de amizades de sua parceria.

6. Dependência emocional

A dependência emocional também pode ser uma causa ou uma consequência da insegurança. Pessoas dependentes emocionalmente acabam desenvolvendo inseguras, por medo de perder aquela pessoa que ela depende tanto.

Isso pode se tornar muito tóxico, porque, com medo de perder sua âncora emocional, a pessoa pode se tornar extremamente ciumenta e paranoica.

Por isso, se você perceber que você ou sua parceria se tornou dependente emocionalmente, busque terapia — porque esse sentimento pode destruir várias relações e até mesmo as próprias pessoas.

Como transmitir segurança em um relacionamento?

Em primeiro lugar vem a conversa, é chegar e dizer que percebeu a insegurança, respeitar e entender o sentimento da pessoa, mas explicar que não há a necessidade.

Por exemplo, “eu entendo que a insegurança pode aparecer e sinto muito que causei isso de alguma forma, mas eu amo você e não quero que se sinta assim”.

É importante também ressaltar os pontos fortes da pessoa, pra mostrar que não há porque se sentir assim. Ressaltar sobre a beleza, sobre o tempo de qualidade juntos e muito mais.

Tenha certeza de mostrar a verdade sobre como sua parceria realmente é. Além disso, é interessante entender as linguagens do amor da outra pessoa e a sua, porque assim você pode buscar formas mais efetivas de mostrar seu amor. É interessante entender o que é culpa sua e o que é a insegurança alheia.

Como superar a insegurança no relacionamento?Insegurancarelacionamento3 insegurança no relacionamento: porque ela existe e como lidar

Tudo o que citamos acima é muito mais focado em quem se relaciona com uma pessoa insegura. Mas agora eu vou falar mais sobre quem sente essa insegurança no relacionamento. Vamos aos passos pra conseguir lidar com isso e superar esse sentimento:

1. Desenvolva sua autoestima

“Ah, como não pensei nisso antes!?” Calma, sei que parece bobo, mas eu vou realmente te ajudar nessa. Existem várias formas de buscar sua autoestima. Uma maneira que vem se tornando bem popular é olhar pra si mesmo no espelho por 5 minutos, sem desviar o olhar.

Nesse meio tempo, tente listar tudo o que você gosta sobre si mesmo. Dessa forma, cada vez mais, você vai conseguir se ver de uma forma mais saudável porque vai parar de fugir de si mesmo.

Mas não podemos só focar no que gostamos. É importante pensar no que não gostamos de nós mesmos. O que te deixa inseguro sobre si mesmo? Tente listar tudo, depois de fazer isso, tente trazer a ração mais racional possível do porque você acha isso de si mesmo.

Depois, tente dizer se é possível mudar isso, sem deixar de ser você. Se for, é mais fácil traçar os próximos passos pra se sentir melhor.

Mesmo assim, não pare por aí, pergunte pra aquelas pessoas que realmente se importam com você (e, de preferência, aquelas brutalmente honestas), quais são os seus defeitos e quais são as suas vantagens, você vai perceber que a visão delas sobre você é completamente diferente do que você imaginava.

E depois, basta tentar entender e aceitar o que elas apontaram. Existem outras coisas que podem ajudar também, como fazer exercícios físicos, encontrar um hobbie que você gosta e buscar práticas que te agradem.

Essas atividades fazem muito bem pra a mente e podem ajudar a tirar a toxidade que a baixa autoestima pode trazer.

2. Evite comparações

Sei que é meio inevitável, mas não faz sentido se comparar. Você não tem a mesma vida de outra pessoa, não teve o exato mesmo combo de criação + experiências no colégio como criança, como pré-adolescente e como adolescente. Não teve os mesmos dias ruins e nem os mesmos dias bons. Não espere de si, algo que não foi designado pra si.

É que nem se comparar com uma pessoa extremamente rica que nunca vai precisar trabalhar na vida: vocês podem ter a mesma idade, mas você não precisa ter um jet ski só porque ela tem um. Entende?

Busque se comparar consigo mesma, com o que você era e o que você é hoje, pra tentar encontrar a melhor forma de ser a melhor versão de si mesmo.

3. Busque o autoconhecimento

É estranho pensar que a gente não se conhece direito, sendo que crescemos com nós mesmos. Mas infelizmente é a realidade, muita gente não se conhece. Não sabe o que gosta, o que não gosta, o que quer fazer da vida, quais são suas metas. Esse tipo de questionamento é essencial.

É interessante também você buscar ler mais sobre as melhores formas de autoconhecimento, seja com conteúdo de psicólogos ou com filosofia existencial. Esses dois podem te ajudar a entender formas mais saudáveis de se conhecer e qual é o limite daqui que tá no seu alcance.

4. Busque fortalecer suas amizades

Lembra que eu falei sobre não ter outra pessoa pra amar e ser amado? Isso pode ser bem ruim pra si. Por isso, tente elencar as pessoas mais importantes pra você e quais delas realmente se importam contigo. Sabendo disso, busque sair mais, conversar mais e fortificar seus laços.

Assim, mesmo que o relacionamento não dê certo, você sabe que não tá sozinha, porque tá repleta de pessoas incríveis e que te amam, independente de um possível “término”.

5. Faça terapia

A terapia pode ajudar em várias coisas, seja pra lidar com traumas do passado ou com as pressões do presente. Então se você vem percebendo muita insegurança com sua relação, seria importante buscar ajuda profissional.

Mas nada de tabus, hein!? Psicólogo não é pra doidos e você não é menos por buscar ajuda. Mesmo que esse preconceito seja muito presente em nossa sociedade, saiba que não é verdade e todo mundo pode buscar ajuda, pelos mais diversos motivos.

Se cuidar vai muito além da saúde física, mas também da mental. Por isso, a terapia pode vir pra te ajudar a entender desde como ter amor próprio na relação, até como lidar com traumas passados.

Como lidar com o ciúmes e com a insegurança no relacionamento?

O primeiro passo é não deixar o instinto controlador tomar conta, porque isso pode ser prejudicial pro seu relacionamento. É muito importante manter uma comunicação eficaz entre os parceiros na resolução da insegurança no relacionamento, tá?

Outro fator importante é tentar ser o mais racional possível quanto ao assunto, entendendo de onde vem o seu ciúmes e porquê, pra saber se é algo que realmente vale a pena investigar ou se é apenas um fruto de sua insegurança.

Independentemente da sua conclusão, a conversa sincera e aberta continua sendo a chave, e pode ajudar o casal a entender melhor os limites do que é aceitável ou não.

A insegurança no relacionamento pode ser um grande problema, mas ela não precisa te levar à sua pior versão. Então, espero que com as minhas dicas e informações, você consiga lidar com isso de forma saudável, a ponto de superar esses obstáculos, encontrando uma relação próspera e nada tóxica.

Ficou com alguma dúvida ou quer compartilhar sua experiência comigo? Então deixe um comentário abaixo que eu vou tentar responder o quanto antes!

Você também pode conferir os outros posts do blog, com atualizações semanais, pra ficar por dentro do universo de relacionamentos e prazeres, não perca!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

usamos cookies melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.