Fases do ciclo menstrual: entenda tudo sobre o assunto com o Guia da Dona Coelha!

Mulher segurando calendário de ciclo menstrual

Cólica, dor nas costas, TPM, o que tudo isso tem em comum? Bem, é claro que estou falando de menstruação, não é mesmo? Esse momento, que é visto por muitas vezes como um período conturbado e difícil de lidar, vem ganhando mais atenção com o passar dos tempos e sendo visto de uma maneira, digamos, mais fraternal!

A importância de entender mais sobre as fases do ciclo menstrual tem chamado atenção e vem sendo debatida em inúmeras pautas. Mas vem cá, você conhece todas essas etapas? Como é um assunto ainda cheio de tabu – mesmo muito relevante – ainda é comum a falta de informação!

Nós vamos, em parceria, desvendar os mistérios da menstruação e entender “tim-tim por tim-tim” todas as partes e características de cada fase do ciclo! Continue a leitura e acompanhe na sequência!

Quais são as fases do ciclo menstrual?

Bem, antes de falarmos sobre cada uma das etapas do período menstrual, é preciso entender o que é a menstruação em si! De maneira geral, todo aquele sangue mensal é fruto de um processo descamativo das paredes internas do útero, da camada chamada endométrio.

Isso acontece porque, como o corpo das pessoas com útero passa todo mês por uma preparação pra fecundação, quando isso não acontece, é preciso renovar pra que um novo processo de preparo seja iniciado.

A menstruação, então, é justamente a descamação do endométrio, que é eliminado juntamente com sangue. Até aí tudo bem, mas para que isso ocorra há diversas etapas que configuram o ciclo menstrual.

Vale frisar que a duração dos ciclos menstruais varia de pessoa pra pessoa e conforme a fase da vida, além de sofrer interferência de fatores externos, como o estresse. Um ciclo é considerado regular e normal quando o intervalo entre o início dos sangramentos for entre 24 e 35 dias. Menos que 24 dias é considerado um ciclo curto e mais do que 35 dias, um ciclo muito longo.

Então, nada de achar que há algum problema se um mês o seu intervalo foi de 28 dias, no seguinte foi de 30 e no outro de 26 dias, ok ? Isso é normal e não se considera irregularidade! Dito isso, vamos entender melhor cada uma das fases ?

Infográfico sobre as fases do ciclo menstrual

Fase folicular

Veja bem, nós temos o costume de considerar a menstruação somente como aquela uma semaninha de sangramento, não é mesmo? Só que ela não informa somente as mudanças hormonais  – queda da progesterona e estrogênio – que o corpo irá sofrer, mas também demonstra o primeiro dia do ciclo.

Como assim? Bem, o primeiro dia de menstruação é justamente o primeiro dia do período ou ciclo menstrual. É aí que começa a fase folicular (de escolha folicular), que se estende até o início da fase ovulatória. Aqui é quando a hipófise começa a produzir, no cérebro, um hormônio chamado FSH (Hormônio Fólico Estimulante), responsável por conduzir o ovário a recrutar os chamados folículos que contêm os óvulos em seu interior. No processo final dessa etapa, temos a seleção do folículo dominante (aquele que vai para ovulação).

Com o passar do tempo e o recrutamento dos folículos, o ovário libera cada vez mais estrogênio. Como protagonista, esse hormônio é o grande responsável por garantir que o revestimento da parede interna (endométrio, lembra?) aconteça e possa receber o óvulo fecundado.

Fase ovulatória

Passado o período folicular, agora é hora da fase ovulatória entrar em cena. Em ciclos regulares, ela normalmente pode ocorrer entre 10 e 20 dias, em média 14 dias após o início da menstruação. Por exemplo, em ciclos de vinte e oito dias, o óvulo amadurecido é liberado por volta do décimo quarto dia do ciclo.

A liberação de estrogênio continua em alta, para que seja possível a liberação de um novo homônimo: o LH (Hormônio Luteinizante). Ele é responsável pela saída do óvulo de dentro do folículo mais maduro do ovário, a chamada ovulação, e pelo início da secreção de outro hormônio: a progesterona.

Após a ovulação, o óvulo é conduzido pelas trompas, local onde ocorrerá a fecundação (encontro com o espermatozoide), e depois seguirá pro útero, onde ocorrerá a nidação (implantação do óvulo já fecundado no endométrio) poucos dias depois. Ah, o óvulo dura em média vinte e quatro horas e o espermatozoide pode durar 120 horas.

Fase lútea

Tendo passado pelo período ovulatório, agora é o momento da fase lútea. Ela ocorre nos 14 últimos dias do ciclo e é mais bem definida que a fase folicular. Logo após a ovulação, há formação de uma estrutura chamada “corpo lúteo” no ovário, originada do folículo de onde foi liberado o óvulo.

Esse corpo lúteo é responsável pela liberação de progesterona, que diminui os níveis de estrogênio e termina de preparar o endométrio pra receber o óvulo fecundado.

Caso aconteça implantação no útero, é iniciada a produção de gonadotrofina coriônica humana, mais conhecida como HCG, hormônio que sinaliza gravidez nos testes de urina. Contudo, se a implantação não ocorrer, o corpo lúteo desfalece e morre.

Nesse momento, há queda nos níveis de progesterona, fazendo com que todo o revestimento interno da parede uterina (endométrio) descame. Tudo isso corrobora pra que a menstruação aconteça e um novo ciclo possa ser iniciado.

Tá, mas e quando meu ciclo não é reguladinho? Nesse caso, não é possível “prever” quando a menstruação irá descer. Em algumas situações, por exemplo, é possível que ela não venha em um mês, venha no outro com mais intensidade ou passe por longos períodos sem dar as caras!

É preciso ter atenção. Há pessoas que simplesmente apresentam essa condição como uma característica própria, outras podem estar com algum problema relacionado à saúde – como síndrome do ovário policístico, formação de cistos ovarianos, alterações hormonais etc. Na dúvida, o melhor a fazer é consultar uma ginecologista de confiança e que busque o melhor pro seu caso em especial. Pense nisso!

Quais são os sintomas de cada fase do ciclo menstrual?

Como você já deve ter notado, o ciclo menstrual é configurado por fases bem distintas e, inclusive, com a predominância de diferentes tipos de hormônio em cada etapa.

Dessa forma, cada uma delas possui características próprias, com sintomas igualmente diferentes. Por isso, eu trouxe os principais sintomas de cada uma delas – considerando a apresentação que fiz anteriormente. Vem dar uma olhada!

Infográfico com explicação dos sintomas das fases do ciclo menstrual, relacionando emojis que se relacionam pra cada uma.

Sintomas da fase folicular

Como explicamos, a fase folicular começa no primeiro dia da menstruação. Normalmente ela dura em média quatorze dias. Esse momento é considerado uma fase de alta produtividade, dada por uma atividade cerebral mais positiva – emocionalmente falando.

Além disso, nesse momento há uma maior disposição em lidar com situações estressantes, sem que você perca a calma e paciência. O aumento do hormônio estradiol colabora pra conter os efeitos da adrenalina e cortisol e também promove mais bom-humor.

Sintomas da fase ovulatória

A fase ovulatória é o momento de brilhar! Como assim? Nesse período tendemos a ter aumento em nossa autoestima, além de sentir – graças ao estradiol – mais vontade de transar. É um período que confere alta atividade sexual, dado por um aumento considerável na libido.

Além disso, é aqui que sentimos necessidade de nos cuidar mais. Há desejo por cuidar da pele, dos cabelos e comprar roupas bonitas. É considerada a fase sexy, com adoção de brincadeiras picantes, fantasias sexuais e uso de sexy toys estimulantes! É o momento em que tendemos a nos sentir fatalmente sensuais e que ocorre com mais frequência o desejo sexual espontâneo, aquele que surge do nada, sabe ?

Tá em dúvida se é possível transar na menstruação? Aqui no blog nós temos um conteúdo completo sobre esse tema! Dê uma passadinha depois por lá e tire todas as suas dúvidas!

Sintomas da fase lútea

A menstruação passa por fases de florescimento, amadurecimento e morte, configurando um ciclo perfeito da vida. E como na fase folicular estamos na primavera, na ovulatória estamos no verão, o inverno chega na fase lútea. É aqui que, muitas vezes, não conseguimos nem mesmo nos suportar.

A irritabilidade aumenta, há alterações de humor, labilidade emocional, instabilidade do sono, retenção líquida, dor nas mamas etc. Isso tudo ocorre devido ao aumento nos níveis de progesterona. Em uma semana agitada, por exemplo, combinado aos sintomas da fase lútea, a irritação e o estresse tendem a ser mais intensos.

É nesse momento, no inverno, na morte do ciclo, que precisamos voltar para dentro de nós e trabalhar o autoconhecimento. É difícil, principalmente por não conseguirmos controlar os nossos níveis hormonais, mas praticar exercícios e adequar a dieta ajuda a fazer com que a fase lútea ganhe um novo significado.

Tente não vê-la como algo somente ruim e desconfortável, mas sim como um período destinado para conseguirmos lidar internamente com nossas próprias emoções. Voltar para dentro também é importante, pense nisso!

Como acompanhar as fases do ciclo menstrual?

Vai parecer bobeira o que vamos falar, principalmente em uma época tão tecnológica como a nossa, mas a melhor maneira de acompanhar o ciclo menstrual é fazendo um registro detalhado. Não precisa ser nada muito elaborado! É possível, em um caderno mesmo, fazer o detalhamento das fases.

Entretanto, para quem gosta de aplicativos intuitivos, existem diversos modelos conhecidos que podem ser interessantes. Eles permitem que você registre o primeiro dia da menstruação e fazem a conta automática, indicando em que fase do período você se encontra.

Além disso, alguns permitem que sejam feitos registros do humor e outros sintomas, fornecendo uma mapa detalhado de quais sensações e sentimentos são mais frequentes em cada uma das etapas. Aliás, é uma ótima forma de entender qual o período mais provável para engravidar.

Se você optar por um formato mais tradicional, é interessante entender quantos dias dura o seu ciclo menstrual. Para isso, é bom anotar o primeiro dia da menstruação todo o mês e contar os intervalos entre cada uma.

Por exemplo, pessoas com útero com ciclo bem regular de vinte e oito dias tendem a estar mais férteis no décimo quarto dia (dia da ovulação), contado desde o primeiro dia de menstruação. Contudo, é importante manter cinco dias de margem antes e dois depois (lembra que o óvulo dura 24 horas e o espermatozoide 120 horas). Nesse caso, então, comece a contar o período fértil no nono dia do ciclo indo até o décimo sexto, ou seja, uma semana inteira de risco de engravidar e não apenas um dia.

Caso seu ciclo seja mais longo ou mais curto, então é necessário adaptar a conta pro seu contexto. Infelizmente, nem sempre conseguimos um cálculo preciso e, se esse é o seu caso, talvez seja mais interessante recorrer a um aplicativo confiável. E não podemos esquecer de fatores externos que interferem no ciclo, como o estresse intenso.

Outro fator que vale a pena ser notado são as mudanças que ocorrem no corpo. Por exemplo, na ovulação, a secreção vaginal, também conhecida como muco, fica mais grudenta e transparente e a temperatura basal aumenta em cerca de meio grau. Esses são possíveis sinais de que seu corpo se encontra no período fértil.

E por falar em gravidez, aqui mesmo no blog, tem um conteúdo completo sobre os mais diversos tipos de métodos contraceptivos! Que tal passar por lá e encontrar o mais adequado para você?

Falar de menstruação sempre causa muitas dúvidas e questionamentos, sem contar no teor pejorativo que as pessoas tendem a imprimir a essa condição. Entender que o ciclo menstrual é algo natural também nos ajuda a desapegar de conceitos preconceituosos.

O debate sobre aceitar as fases do ciclo menstrual é super novo, mas que tem ajudado muita gente a olhar pra esse momento como algo único e muito bonito. Aliás, passou da hora de vermos a menstruação para além das dores e mau humor típicos da fase lútea e entender que somos parte viva do próprio ciclo da vida!

E daí, o que achou do conteúdo de hoje? Por aqui, sempre prezamos por um ambiente de acolhimento aliado a informação de qualidade!

Continue conosco e confira muito mais sobre bem-estar sexual, pautas sociais, relacionamento e outros temas da sexualidade! Aproveite que estudou sobre as fases do período menstrual e leia meu texto sobre tipos de vagina, reconheça a sua e aprenda a amá-la do jeitinho que ela é! Te espero por lá!

Publicação revisada por:
Ginecologista tetzi de oliveira brandão

Dra. Tetzi Oliveira Brandão - CRMMG 47157
Ginecologista e Obstetra c/ espec. em Medicina Fetal e Ultrassonografia

Sou médica e ativista pelos direitos sexuais e reprodutivos das mulheres, por isso me especializei em Ginecologia e Obstetrícia (RQE 15419), Medicina Fetal (RQE 16793) e Ultrassonografia (RQE 20164). Falar de sexualidade, saúde sexual, intimidade, prazer e do corpo feminino sem tabus é minha paixão e meta pessoal.

Deixe um comentário

Seu endereço de email não será publicado.

usamos cookies melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.