Edging: saiba o que é a técnica que intensifica seus orgasmos!

Foguete rosa subindo indicando prática de edging

Você já ouviu falar na técnica edging? Muita gente ainda não conhece essa prática e outras pessoas podem ter ouvido sobre ela por aí, mas a técnica ainda não é tão conhecida – pelo menos não pelo seu nome. Mesmo assim é uma prática que pode transformar os nossos orgasmos e pode ser feita tanto por quem tem pênis como por quem tem vulva de formas simples.

No conteúdo de hoje, você vai aprender tudo sobre esse assunto: o que é, pra que serve, quais as vantagens e se há riscos, além de conferir ótimas dicas pra praticar. Quer ficar por dentro de tudo isso? Então, continue acompanhando!

O que é e para que serve a técnica edging?

O edging é uma técnica de prolongação do orgasmo, conforme indica a Sociedade Internacional de Medicina Sexual. Ele tem como propósito atrasar o orgasmo, brincando com a elevação máxima de prazer seguida da interrupção dos estímulos.

O método é simples: quando você estiver quase tendo um orgasmo, pare todos os estímulos, sejam físicos ou psíquicos. A ideia é chegar ao limite, à borda do prazer e não se jogar nele. Dessa forma, é possível oferecer a sensação de prazer por mais tempo e manter o corpo sensível, sem necessariamente ter o orgasmo, o que prolonga o bem estar sexual de quem está praticando.

5 Benefícios do edging

Existem muitos motivos pelos quais vale a pena praticar essa técnica sexual que intensifica os orgasmos, tanto pra sua saúde quanto pro seu prazer, por isso, eu elenquei os principais:

1. Desautomatizar o orgasmo

Quando a gente faz muito uma coisa, ou já fez várias vezes, ela acaba se tornando um processo mais automático, não é? Por exemplo, provavelmente, você não pensa no passo a passo que você leva pra lavar a louça, pra dirigir, pra amarrar o cadarço… Os exemplos são infinitos e, quando você sabe como chegar no orgasmo, isso também se torna um pouco automático.

Você aprende quais toques, intensidades e movimentos te levam ao clímax do prazer e, aí, seja a sós ou em companhia, você já tenta fazer essas coisas pra ter seu orgasmo e curtir o momento rapidinho. O problema é que a gente acaba fazendo sempre a mesma coisa ou, pior, chegando ao ápice muito rápido e aproveitando pouco esse momento que pode ser prazeroso como um todo.

Praticando o edging, você vai, aos poucos, desconstruir essa automatização de prazer à qual seu corpo está condicionado, porque você poderá ensiná-lo outros pontos e estímulos que gerem prazer, se conhecendo ainda mais.

2. Mais intimidade

Outro ponto forte da prática é quando ela é feita junto com a sua parceria. Imagine que vocês já têm uma rotina sexual bem estabelecida, sabem os movimentos e as posições sexuais que levam ambos ao orgasmo. Quando decidem quebrar essa engrenagem, é essencial que haja uma comunicação clara e constante entre o casal, tanto antes quanto durante o sexo.

Ao longo da prática, vocês vão precisar falar pro outro o que fazer ou não, qual o ritmo pra ficar gostoso e quando é hora de parar, além de poderem mostrar toques novos que podem estar afim de experimentar. Tudo isso ajuda vocês a se conhecerem e a se conectarem ainda mais, melhorando a intimidade do casal.

3. Estimula as conexões cerebraisComo praticar edging1 edging: saiba o que é a técnica que intensifica seus orgasmos!

Todo aprendizado é uma forma de treinar o cérebro, sabia? Isso mesmo, quando nos propomos a aprender e a fazer coisas novas, estamos exercitando a mente e ampliando as conexões cerebrais. Durante a prática do edging, isso também acontece tendo em vista que você vai testar novos caminhos até o orgasmo, que também será mais intenso pro corpo e pra mente.

4. Alternativa para ejaculação precoce

A ejaculação precoce é uma condição que afeta muitas pessoas com pênis – segundo dados da Sociedade Brasileira de Urologia, atinge 30% dos homens (cis) adultos no país. Entre outras práticas e tratamentos, o edging é uma forma de minimizar essa condição em busca de mais prazer e satisfação na hora do sexo.

Isso porque a prática permite que a pessoa controle o momento de ejacular, que muitas vezes acontece junto com o orgasmo. Mesmo que não seja na primeira ou na segunda tentativa, aos poucos, é possível ir treinando o corpo com essas “paradinhas” no ápice do prazer, então, dá pra começar a sós e, depois, fazer em parceria.

5. Ativação de pontos de prazer

Outro benefício da prática do edging é a possibilidade de “ativar” pontos de prazer que você ainda não tem. Por exemplo, muitas pessoas com vulva não sentem prazer com a penetração porque, na verdade, não sentem prazer na vagina. Daí, acabam focando os estímulos na parte externa, especialmente no clitóris, e em outras áreas erógenas do corpo.

Durante a prática, é possível combinar o estímulo que te dá prazer com um em uma região que você ainda não consegue ter orgasmo, mas quer. Pra deixar mais claro, a ideia é que, quando estiver sentindo mais e mais prazer a partir do estímulo clitoriano, toque também a vagina, seja com os dedos, um toy ou por meio da penetração peniana. Será mais fácil encontrar o seu jeitinho de explorar essa área.

Mas lembre-se que ninguém é obrigado a ter prazer nos mesmos lugares e pelos mesmos motivos que as outras pessoas – a excitação e as zonas erógenas são bastante subjetivos e só o autoconhecimento vai te dizer o que rola ou não no seu caso. Não precisa se pressionar, tá bem?!

Existe risco em praticar o edging?

No geral, a prática do edging é bastante segura, tanto que é indicada pra prolongar o prazer e intensificar os orgasmos. O que pode acontecer, pra algumas pessoas, é surgir uma ansiedade no momento em que há a interrupção dos estímulos. Isso é mais provável pra quem já apresenta essa condições e pode ser um gatilho porque o corpo já está na expectativa do orgasmo, que é interrompida.

Outra coisa possível, mas que é bastante rara, é acontecer as “bolas azuis” – esse é o nome popular pra hipertensão epididimal, que consiste em dor no testículo e, por vezes, um tom mais azul. Isso porque, quando a pessoa para, rola uma diminuição no fluxo sanguíneo na região, mas uma ejaculação pode aliviar facilmente.

Como praticar o edging?Como praticar edging2 edging: saiba o que é a técnica que intensifica seus orgasmos!

A prática da “paradinha” é bastante simples, no geral, o mais básico é seguir estes passos:

  1. Inicie os estímulos como de costume até chegar no máximo de prazer antes do orgasmo;
  2. Interrompa os estímulos por cerca de 30 segundos completamente;
  3. Retome os estímulos e repita o procedimento.

Parece bem simples, não é? E é mesmo, mas o momento de parar os estímulos pode ser realmente desafiador, porque estamos indo contra o nosso desejo. Por isso, existem algumas coisas que podem ajudar nesse processo, tornando-o mais interessante, olha só:

  • Converse sobre assuntos aleatórios

Na hora de interromper os estímulos, não se limite a parar somente as práticas físicas, pois a mente também é muito poderosa. Um jeito simples de pausar os estímulos mentais é trocar o foco do assunto rapidamente, falando de temas que não têm nenhum apelo erótico pra você, como o mercado, um parente, até uma dúvida de português vale. É um jeito simples de desfocar das sensações de prazer que você estava tendo.

  • Pequenos beliscões

Criar pequenos contatos de dor pode ajudar a tirar o foco físico das zonas erógenas, desde que você não faça isso em uma delas. Sabe aquela coisa do “me belisca pra ver se eu tô sonhando”? Então, é a mesma ideia, dar pequenos beliscões no corpo pra despertar outras terminações nervosas que não estão conectadas com os estímulos sexuais, aliviando a pressão lá embaixo!

  • Batidinhas do clitóris

Conhecida como técnica tapping, a prática de dar pequenas batidinhas no clitóris é um jeito de minimizar os estímulos que você estava tendo pra chegar ao orgasmo. As batidinhas podem até ser prazerosas, mas elas não são intensas, assim, sozinhas, não levam ao clímax de prazer e, quando você está chegando nele, elas diminuem o estímulo na região.

Você pode fazer isso com os dedos, mas, na hora de se masturbar, também é possível usar sex toys pra curtir a sensação do tapping. Um modelo que se destaca pra essa prática é o Sussu, o sugador da linha Dona Coelha. Ele é um toy 2 em 1 que conta com a sucção clitoriana de um lado e a vibração das batidinhas do outro, e não a vibração tradicional dos vibradores.

É um toy atualmente exclusivo no mercado nacional e é pensado, também, pra prática do edging, já que combina um modelo de alto estímulo (sugador) com um de baixo estímulo (tapping) clitoriano.

E aí, gostou das dicas? Espero que tenha ficado mais fácil prologando seu prazer e ter orgasmos mais intensos ainda. Quer saber mais sobre o universo do prazer? Olha só este conteúdo completo sobre orgasmos múltiplos. Até a próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

usamos cookies melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.