Banner com fundo amarelo e ao centro coração de feltro cortado ao meio e costurado

Coração partido? Saiba como lidar com a dor e remendá-lo

Você teve, o seu vizinho, aquela amiga e muitas outras pessoas tiveram o famoso coração partido. Aquele amor, enquanto ainda era alguém imature, que “deveria” durar para sempre, mas não foi assim que aconteceu, não é?

Falar de amor é um pouco complicado, isso porque são muitas as formas de expressá-lo, diferentes níveis e relacionamentos. O fato é que, muitas vezes, pode ser difícil superar os fins. Há tanta dor, tristeza, sentimento de incapacidade e muitas outras emoções negativas que pode parecer que nada mais tem um sentido.

Mas calma, é complicado mesmo. Só que é preciso entender que há formas de fazer essa dor diminuir para, depois, superá-la. Quer saber como? Bem, a Dona Coelha vai explicar tudinho sobre isso hoje. Vamos lá?

Destrinchando os sentimentos de um coração partido: por que dói tanto?

Ah, o amor… Sentimento puro, sem limites, que muda nosso interior e, muitas vezes, o exterior, como outras pessoas nos enxergam. O problema é que, nem sempre, ele dura para sempre, o que é uma pena, pois em um mundo sem sofrimento seria tão mais fácil de viver, né?

Porque um joelho ralado dói bem menos que um coração partido… Esse trecho musical nunca fez tanto sentido. Nesse caso, tratamos com dois tipos de sofrimento, o físico e o emocional. Mas, parando para pensar, é realmente assim.

O problema é que as dores emocionais causam bastante impacto, seja no modo de enxergar o mundo, no de ver a si mesmo, nas atitudes, entre outras coisas. Claro, isso não quer dizer que é maior ou melhor do que as aflições físicas, não é bem assim, mas você entende a direção que esse assunto vai, certo?!

O coração partido nada mais é que aquela sensação forte de perda, o momento no qual a pessoa é bombardeada com alguma notícia ruim e é tomada pela dor, geralmente por causa da quebra de expectativa com quem se relaciona. Imagine que você apostou que tudo duraria e que estava bem e, de repente, vê que as coisas não eram nenhum pouco como pensava.

Você sabia sobre a Síndrome do Coração Partido? Pois é, ela existe e pode afetar pessoas de todas as idades. É preocupante porque tem os mesmos sintomas de um infarto, como dor no peito e aperto, dificuldade respiratória, entre outras coisas.

Essa síndrome é mais caracterizada como algo psicológico, que ocorre devido aos sentimentos negativos que tomam conta da cabeça, mas já foi atestado que o ventrículo esquerdo pode não bombear o sangue suficientemente. Assustador, por isso os médicos sempre procuram estabilizar o órgão da pessoa.

O que se pode dizer é que isso tem resolução, pode demorar ou ser rápido, afinal cada pessoa tem seus pontos fracos e fortes, mas dá para curar sim, ok? Ou, pelo menos, diminuir a dor.

Mas para ficar um pouquinho mais claro, vamos desmembrar duas formas de coração partido: por relacionamentos ou por decepção consigo.

Coração quebrado em relacionamentos amorosos

Seguindo a linha dos relacionamentos, normalmente essa quebra acontece quando há traição de alguma das partes ou o término. Então, acontece de a pessoa se perguntar: e agora, o que vai acontecer comigo? Como superar? Como sobreviver a isso? Como seguir em frente?

A bolha das idealizações não é segura e isso fica muito mais claro quando um relacionamento acaba. Todos sabem que não há relação que seja perfeita, certo? Sempre há alguma coisinha aqui, um ciuminho ali – saudável! –, às vezes, uma briga, porque as personalidades nunca são as mesmas.

Mas é aquela coisa, o imaginativo é subjetivo, nada acontece da maneira que queremos ou esperamos, a não ser que seja uma coisa muito fácil de se resolver e que depende exclusivamente de nós mesmos.

Nem todo mundo sabe como terminar um relacionamento, por isso o baque pode ser maior ainda e a dor bem profunda e que pode acarretar até problemas físicos, como a síndrome já citada.

Coração quebrado por si

A decepção é forte, mas quando é com a gente parece que fica infinitamente mais grave. Afinal, poxa, você poderia ter evitado, certo? Bem, nem sempre. Podemos nos enganar, mentir para nós mesmos, fazer coisas que achamos que queremos fazer em prol de algo que só existe em nossa imaginação, aquela idealização do que somos.

E o que acarreta essa quebra?, a própria falta de autocuidado e falta de amor próprio pode gerar isso. Cá entre nós, não somos feitos de pedra, sempre estamos tentando ser melhores, mais fortes, tornar o eu atrativo para outres, o problema é quando isso se torna o objetivo da sua vida, aquela busca incessante por atenção e carinho.

Mãos segurando coração partido ao meio e ao fundo flechar levando para partes de textos com motivos para o coração partido

Isso pode fazer alguém se transformar e não para o bom sentido, demora, mas não tarda, o dia em que alguém olha para si e pensa “O que eu fiz comigo?”, então, BOOM, coração partido!

Como superar um coração partido? Enxergando a luz no fim do túnel

Deu para entender um pouquinho sobre a gravidade desse acontecimento, não é? A questão é que, como traz uma aflição bem grande, pode parecer que essa quebra do coração não será nunca superada. Mas, bem, há algumas coisas que podem te ajudar a passar por isso. Conheça elas:

Entender que cada um sente à sua maneira

Somos singulares, apesar das semelhanças, pensamos e agimos diferente, temos experiências variadas, por isso é perfeitamente compreensível que alguém possa sentir mais ou menos. Existem pessoas mais emocionais e outras mais reservadas e tá tudo bem, cada um tem o direito de sentir o que bem entender.

O que acontece é que o que aparece mais são as mulheres, taxadas de pessoas mais emotivas, que são o sexo “frágil”, que sofrem mesmo. Pesado, não é? Uma mulher pode muito bem ser mais reservada e ter um impacto totalmente diferente quando isso acontece na relação.

E aqui vai um adendo: homens podem chorar sim, viu?! Que a nossa sociedade é bem machista, todos sabem, e isso resulta em diversos problemas, muitos deles para os homens também.

Você sabia que os homens são os que mais se suicidam? São diversos pormenores para isso acontecer e um deles é a constante pressão de que eles precisam ser fortes, não podem demonstrar sentimentos, têm que aguentar, porque, quando o fazem, são taxados de fracos.

Então, pense só no peso que eles suportam por não poderem expressar o que sentem quando têm seus corações quebrados por receio dos julgamentos injustos.

A questão que deveria ser frisada é o respeito. Todos podem passar por essa situação e não cabe a ninguém ficar enchendo a cabeça de alguém sobre isso ou achar engraçado.

Ter o tempo que necessitar

Tempo é algo relativo, para você, pode passar rápido, para outros, não. A questão é que o tempo que cada um vai precisar deve ser respeitado. Demorou três meses para superar? Ok. Levou um ano e se libertou só agora? Tá tudo bem também!

Caminhando a passos de tartaruga ou rápido como uma lebre, ninguém tem o direito de ditar as semanas, meses ou anos de cura de outra pessoa. O tempo ajuda, com o passar dos dias as coisas ficam mais distantes, você acaba se distraindo com os afazeres diários, aproxima-se de outras pessoas, enfim, no final, ele é um grande aliado para o coração quebrado.

Banner com fundo roxo e ao lado esquerdo mulher segurando relógio, e do direito escritas falando que cada pessoa tem seu tempo de recuperação para um coração partido

Praticar o amor próprio

O autocuidado é tudo, principalmente quando se fala de decepções. Comer uma comida gostosa, fazer uma viagem, praticar um esporte novo, mudar o cabelo e tantas outras coisas podem ajudar a diminuir a dor um pouquinho.

Nessa hora, é preciso entender que o que aconteceu foi uma fatalidade e que todos estão sujeitos a isso, então é o momento de voltar o olhar para si e se redescobrir. Quando esse amor consigo está em dia, dificilmente alguém entrará em uma cilada psicológica, porque terá descoberto que não deve se rebaixar ou sofrer por coisas que não são dignas disso.

Procurar ajuda profissional

Nem sempre é possível superar tudo sozinho, afinal não somos fortes o tempo todo. Nessas horas, ter ajuda profissional é importante. Terapeutas e médicos psicólogos são os mais indicados, são pessoas que te ajudarão a enxergar o cerne do problema e compreender coisas que você nunca imaginaria.

O acompanhamento será excelente para entender mais sobre si, sobre a situação e todas as vivências que resultaram no acontecido. É importante cuidar da sua saúde mental.

O amor tem muitas facetas e pode ser muito bom quando tudo caminha por direções certas. Você já sofreu com essa situação? Saiu disso ou ainda está superando? Conta pra gente como foi ou está sendo remendar esse coraçãozinho!

Bem, e para não perder nenhum conteúdo incrível e completíssimo sobre relacionamentos e muito mais, acompanhe a Dona Coelha sempre!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Coletamos dados para melhorar o desempenho e segurança do site, além de personalizar conteúdo para você, confira nossa Política de Privacidade.