Garota com gesto de desapontamento

Anorgasmia Feminina: sintomas, causas e soluções com a Dona Coelha!

Muitas mulheres passam por problemas que comprometem a vida sexual. Além da grande maioria ainda não conhecer o próprio corpo e considerar a masturbação uma prática errada – e até mesmo vulgar – há aquelas que queixam-se de sentir dor.

Como resultado, grande parcela delas revelam nunca ter chegado ao orgasmo e por isso desconhecem essa sensação maravilhosa! Contudo, a anorgasmia feminina também pode ser um dos motivos de nunca terem conseguido atingir o ápice do prazer sexual!

Você sabe o que significa essa disfunção sexual feminina? Não? Então, muita calma que vamos te ajudar! Confira o guia completo sobre a anorgasmia, identifique os sintomas e conheça as possíveis soluções! Te vejo a seguir, combinadas?

O que é a anorgasmia feminina?

É fato que o orgasmo varia muito entre homens e mulheres de todas as idades, além de depender de fatores relacionados à intimidade em parceria, estímulos apropriados e conexão – que interfere diretamente no ápice do prazer!

Quando a falta do orgasmo se torna frequente pode ser considerada uma patologia chamada anorgasmia – que é considerada recorrente de acordo com diversos ginecologistas. Contudo, a falta de informação e tabu com o assunto, faz com que muitas deixem de procurar tratamento adequado e vivam com essa condição até mesmo por toda a vida!

Contudo, veja bem, a anorgasmia não configura falta de excitação sexual! Por exemplo, você pode estar tendo um voo solo e mesmo assim não conseguir atingir o orgasmo, porém não deixa de estar extremamente excitada. Isso também ocorre em parceria, já que você pode estar entusiasmada com o outro, mas não conseguir chegar lá! Entendeu?

Aliás, antes de pensar em ter um problema como a anorgasmia, vale ressaltar que você pode simplesmente não estar identificando o próprio orgasmo – o que é bastante comum, tá? Aqui mesmo no site nós temos um conteúdo que pode te ajudar nisso! Passe lá depois e confira!

A anorgasmia feminina e a anejaculação diferem exatamente nisso: na incapacidade de gozar no ápice sexual, o que por sua vez não tem a ver com não ter chegado ao prazer, consegue entender?

Resumindo! Enquanto na anorgasmia você pode até ter excitação sexual – mas não chegar ao orgasmo – na anejaculação você pode atingir o ápice do prazer, no entanto não goza.

Concluindo, as duas condições são diferentes e precisam de interpretações igualmente distintas! O melhor mesmo é procurar ajuda apropriada de um médico especializado e considerar um acompanhamento psicológico – para tratar também possíveis causas emocionais.

Quais os sintomas da anorgasmia feminina?

Existem três tipos de anorgasmias femininas e elas podem nos dar algumas pistas de como identificar os sintomas dessa disfunção sexual terrível – imagina não conseguir chegar ao orgasmo?

A primeira é considerada de cunho primário, e configuram mulheres que – desde a primeira relação sexual – não conseguem atingir o ápice do prazer. A segunda, de cunho secundário, acomete mulheres que já chegaram ao orgasmo, mas – em determinadas situações e com determinadas pessoas – não consegue chegar lá!

Há também as anorgasmias de cunho situacional e a generalizada. A situacional acontece em ocasiões distintas e com parcerias específicas. Já a generalizada, ocorre sempre e em qualquer situação – ou seja, mesmo quando a mulher tenta a masturbação.

Contudo, ginecologistas afirmam que os sintomas das duas primeiras podem ser somados aos das anorgasmias situacionais e generalizadas. Por isso, teimamos em reafirmar que é muito importante buscar ajuda especializada e encontrar o tratamento certo para o seu caso.

Informações resumidas sobre os tipos de anorgasmia

Quais as causas da anorgasmia feminina?

Independente de qual seja o sintoma e em que categoria de anorgasmia esteja o seu caso, as causas para esse tipo podem ter relação com questões psicológicas, emocionais e externas. Vamos conhecê-las?

Psicológicas

As causas psicológicas podem ter a ver com a estrutura familiar da pessoa, que configura uma situação de total descaso, desrespeito e – inclusive – traições. Além disso, vale destaque para casos de abuso sexual, que pode levar a outras situações como depressão – por exemplo. Ah, necessidade de controle e doenças mentais também podem levar a anorgasmia feminina!

Emocionais

O tabu sexual certamente está entre uma das maiores causas emocionais para a anorgasmia feminina. Grande repressão, controle e intolerância sexual e de gênero também podem levar ao problema. Ademais, a ausência de educação sexual falta de conhecimento sobre o próprio corpo e vergonha também são fatores que contribuem!

Externas

Finalmente, dentre as causas externas pode haver a falta de diálogo no sexo, vergonha de desejos, práticas diferentes e fantasias sexuais. Além disso, há situações em que alguém goza primeiro e não se esforça para estimular outro – cuidado com o egoísmo sexual, hein! Abuso de álcool, drogas ou medicamentos psicotrópicos também são fatores na anorgasmia feminina!

Conhecer o próprio corpo e longe de preconceitos é – sem dúvida nenhuma – um dos primeiros passos que precisamos dar para conseguir resolver o problema da anorgasmia feminina! Mas há também demais soluções que – somadas a essa – colaboram para que você finalmente consiga gozar! Vamos conferir?

Infográfico sobre anorgasmia

5 Possíveis soluções para a anorgasmia feminina!

Depois de ter diagnosticado o problema, agora é preciso começar o tratamento para a anorgasmia feminina, concorda? As possíveis soluções que trazemos aqui são indicadas por diversos profissionais, que ressaltam a importância de consultar caso por caso!

Além disso, o ideal é que elas não ocorram de forma separada, mas sim simultaneamente – para tratar diversas áreas da saúde humana que podem ter sido afetadas – psicológicas, emocionais ou físicas.

Por isso, pense nelas mais como um combo de soluções do que atitudes individuais, certo? Chega de conversa e vem conferir quais atitudes você pode ter para resolver a anorgasmia feminina!

1 . Terapia sexual

A terapia sexual é muito importante na identificação do próprio corpo. Ela pode nos ajudar – de maneira direcionada – a uma educação sexual mais adequada. Além disso, ela também pode ser feita em casal, o que contribui ainda mais em saber o que as duas pessoas gostam um no outro e aquilo que pode melhorar.

2 . Diálogo

É aí que o diálogo entra! A melhor maneira de chegar ao ápice do prazer é compartilhar seus desejos com a outra pessoa. Fica difícil saber o que fazer quando não conseguimos compreender o outro, concorda? Converse mais em parceria e tentem chegar – juntos! – a um sexo que seja gostoso para vocês!

3 . Acompanhamento psicológico

O acompanhamento profissional psicológico também é muito importante. Por isso, além do seu ginecologista, encontre um psicólogo(a) com quem se sinta confortável em compartilhar. Dessa forma, será muito mais fácil identificar as causas internas que podem estar conduzindo a sua anorgasmia.

4 . Atitudes sexuais novas

Que tal inovar e buscar estimular novas zonas de prazer – atenção sexo oral e anal É claro que, aqui você precisa desconstruir preconceitos e tentar novas abordagens. Por isso, seja em um relacionamento homoafetivo ou heteroafetivo, tente incrementar com novas possibilidades – que tal um sex toy interessante, hein?

5 . Reposição hormonal

Em casos que há disfunção hormonal, como no caso de mulheres em situação de menopausa, às vezes é preciso adequação com o uso de medicamentos. Por isso, além do acompanhamento com o ginecologista, talvez seja interessante a intervenção psiquiátrica – principalmente para mulheres que fazem uso de psicotrópicos.

Não tenha vergonha da anorgasmia feminina! Como dissemos, muitas mulheres estão contigo nessa mesma situação. O melhor a fazer não é continuar se escondendo, mas sim procurar a ajuda certa para você – e nós, do blog da Dona Coelha, estamos contigo nessa batalha, tá?

Aqui mesmo você pode encontrar uma série de conteúdos que podem te ajudar a compreender melhor sobre o universo sexual e deixar o preconceito de lado! Ah, que tal começar com uma nova experiência e aproveitar para ler nosso post sobre os benefícios do orgasmo? Te espero por lá, viu?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dona coelha e os cookies: usamos cookies para melhorar a experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.